May 9, 2014 / 9:10 PM / 4 years ago

Presidente nigeriano diz crer que estudantes sequestradas ainda estão no país

Por Matthew Mpoke Bigg

O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, se dirige à imprensa para falar sobre sequestro de alunas sequestradas no mês passado, em Abuja, capital do país. 09/05/2014 REUTERS/Afolabi Sotunde

ABUJA, 9 Mai (Reuters) - O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, disse nesta sexta-feira acreditar que as 200 alunas sequestradas por militantes islâmicos no mês passado em um ataque que despertou revolta mundial ainda estão no país e não foram levadas ao vizinho Camarões.

À medida que cresce a condenação ao sequestro, o mufti da Arábia Saudita, a maior autoridade religiosa do berço do islã, disse que os rebeldes do grupo Boko Haram, que realizaram os sequestros, “decidiram manchar a imagem do islã”.

O governo de Jonathan tem sido criticado por sua reação lenta à crise das reféns, e esta sexta foi a primeira vez que ele disse crer que as estudantes estejam sendo mantidas no país.

“Há histórias de que eles as tiraram do país. Mas se levarem essa quantidade de meninas para Camarões, as pessoas verão, então acredito que ainda estão na Nigéria”, disse Jonathan a jornalistas.

Os militantes atacaram uma escola secundária no vilarejo de Chibok, perto da fronteira com Camarões, em 14 de abril, e sequestraram as alunas, que faziam provas na ocasião. Cinquenta escaparam desde então, mas mais de 200 continuam com os insurgentes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below