for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

EUA atacam líder do grupo Al Shabaab na Somália

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos usaram um veículo aéreo não tripulado, ou drone, para atacar um líder sênior do grupo militante Al Shabaab na Somália, afirmou o Pentágono nesta terça-feira, acrescentando que a morte dele representa um grande golpe a um movimento que já está perdendo terreno no país.

O ataque com mísseis de 31 de janeiro no sul da capital, Mogadíscio, alvejou Yusef Dheeq, chefe de operações externas e planejamento para inteligência e segurança do grupo, disse o porta-voz do Pentágono, o contra-almirante John Kirby.

“Não estou numa posição agora para confirmar os resultados do ataque, mas se bem-sucedido, se ele já não respira, então foi mais um golpe significativo para o Al Shabaab”, disse Kirby.

Os Estados Unidos não acreditam que haja vítimas civis, acrescentou.

O ataque foi o mais recente de uma campanha em curso contra o Al Shabaab, cuja liderança é afiliada à Al Qaeda. Em setembro, um ataque com drones matou o principal líder do grupo, Ahmed Abdi Godane. Outro ataque em 29 de dezembro matou outro militante sênior do Al Shabaab.

O Al Shabaab, que controlava Mogadíscio e o sul da Somália até ser expulso da capital em 2011, tem perdido terreno para uma ofensiva militar de forças somalis e da União Africana.

O grupo ainda lança ataques de guerrilha e atentados e esteve por trás de um ataque em 2013 contra um shopping center em Nairóbi, no Quênia, que matou 67 pessoas.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up