21 de Abril de 2017 / às 18:45 / em 8 meses

Varejistas dos EUA apostam no Congresso para frustrar planos tributários de Trump

(Reuters) - Target, Wal-Mart e outros varejistas estão considerando mudar centros de distribuição mais próximas dos Estados Unidos diante de um possível imposto para fronteira, agindo em vez de desistir de mudar o plano no Congresso.

O plano do presidente Donald Trump de impor um imposto sobre importações, com taxa de 20 por cento proposta por republicanos da Câmara, poderia elevar os preços no consumidor dos EUA em até 25 por cento, disseram executivos da indústria. Na semana passada, Trump disse que preferia um “imposto de importação” que poderia ser ajustado para refletir a taxa de imposto do país de origem para os produtos norte-americanos.

A decisão dos varejistas de antecipar o investimento da cadeia de suprimentos em países como Bolívia e Romênia para se concentrar no lobby do Congresso mostra como a agenda ambiciosa da Trump criou um novo nível de risco operacional fora das fronteiras dos EUA. Mas a falta de clareza das propostas e se podem ser implementadas significa que os executivos do varejo ainda não estão dispostos a mudar a infraestrutura operacional.

A Associação de Líderes do Setor de Varejo, que lidera o esforço de lobby da indústria, teve 140 reuniões com legisladores desde dezembro, focando os custos de um novo imposto e incentivando os legisladores que se opõem ao imposto.

A Target, por exemplo, acha que os esforços de lobby da indústria estão sendo bem sucedidos.

“Estamos trabalhando para educar os parlamentares e o presidente Trump ainda não decidiu isso, então definitivamente pensamos que estamos fazendo progresso”, disse um funcionário sênior da Target na condição de anonimato.

Há uma boa razão para varejistas lutarem contra a ideia de imposto. A RBC Capital Markets previu que uma taxa pode reduzir os lucros de seis grandes varejistas norte-americanos em até 13 bilhões de dólares no primeiro ano, com o Wal-Mart sozinho ver sua conta de impostos federais saltar de 6,6 bilhões para 16,6 bilhões de dólares.

A Best Buy, que depende muito de importações de produtos eletrônicos, poderia ver seus ganhos serem totalmente aniquilados, advertiu RBC. A Best Buy recusou-se a comentar.

Empresas com menos exposição a fornecedores estrangeiros - desde cadeias de preços como TJX Ross Stores e a rede de cosméticos Ulta Beauty sentiriam menos impacto do que importadores pesados ​​como Wal-Mart, Target e Costco, disseram analistas e consultores.

TJX Companies e Ulta Beauty recusaram comentar. Ross Stores e Costco não responderam aos pedidos de comentários.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below