16 de Outubro de 2017 / às 12:37 / em 2 meses

Eleição na Áustria abre caminho para partido de extrema-direita fazer parte de coalizão

VIENA (Reuters) - A Áustria deu uma guinada para a direita nas eleições parlamentares de domingo, dando ao Partido da Liberdade (FPO), de extrema-direita, o direito de participar das conversas de formação de uma coalizão com o jovem conservador Sebastian Kurz, que venceu o pleito, mas sem obter uma maioria no Parlamento.

Sebastian Kurz participa de celebração de seu partido em Viena, Áustria 15/10/2017 REUTERS/Dominic Ebenbichler

Kurz, líder de apenas 31 anos de idade do Partido Popular Austríaco (OVP), deve se tornar um dos líderes mais jovens do mundo depois de obter a vitória com cerca de 32 por cento dos votos adotando uma postura rígida contra a imigração, o que o aproximou do FPO.

A Áustria foi o portão de entrada de mais de um milhão de pessoas que rumavam para a Alemanha durante a crise imigratória iniciada em 2015, e neste mesmo ano recebeu o equivalente a cerca de um por cento de sua população ao acolher postulantes a asilo.

Muitos eleitores disseram que seu país ficou sobrecarregado e que a crise ajudou a ascensão de partidos de direita.

O resultado deixou o Partido Social-Democrata (SPO), do atual chanceler Christian Kern, em segundo lugar, mas eles podem perder a vaga devido ao número recorde de votos pelo correio -- mais de 889 mil foram enviados e sua contagem será feita até a noite desta segunda-feira.

Um terceiro lugar enfraqueceria o partido na formação de uma coalizão.

A legenda de Kurz provavelmente precisará de um parceiro de coalizão. Uma aliança com o FPO é a opção mais provável, embora Kurz tenha deixado suas opções em aberto.

“Nem uma coalizão com o FPO nem uma com o SPO foi acertada”, disse Kurz à emissora ORF quando pressionado para revelar seus planos. “Temos que esperar pelo resultado”.

Qualquer coalizão entre dois dos três principais partidos é possível, já que o SPO revogou uma proibição autoimposta a coalizões com o FPO. Mas se o SPO ficar em terceiro é improvável que forme uma aliança com o FPO que tornaria seu líder, Heinz-Christian Strache, o chanceler.

O FPO, que foi fundado por ex-nazistas, mas diz ter rompido com seu passado, teve que expulsar membros diversas vezes devido a escândalos ligados ao nazismo. Seus partidos irmãos no continente são a Frente Nacional francesa e a Alternativa para a Alemanha.

O presidente do Congresso Mundial Judaico, Ronald Lauder, que foi embaixador dos Estados Unidos na Áustria entre 1986 e 1987, pediu que o FPO seja impedido de integrar o governo austríaco.

Reportagem adicional de Shadia Nasralla

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below