28 de Outubro de 2017 / às 18:28 / em 2 meses

EUA terão papel chave em discussão sobre clima na COP apesar de posição de Trump

OSLO/LONDRES (Reuters) - Os Estados Unidos terão um papel importante nas discussões para moldar o Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, para a insatisfação de algumas nações que queriam Washington afastado porque o presidente Donald Trump planeja se retirar do acordo.

Oficiais dos EUA disseram que serão construtivos na reunião anual com 195 países em Bonn, Alemanha, entre 6 e 17 de novembro, para trabalhar em um “livro de regras” para o plano do Acordo de Paris de 2015, de reduzir o uso de combustíveis fósseis na economia mundial, neste século.

Mas outras nações estão divididas entre receber ou repreender os enviados de Washington, depois da decisão de Trump, em junho, de retirar os Estados Unidos do acordo e promover a indústria americana de combustíveis fósseis.

Washington mantém seu lugar nas conversas porque o pacto de Paris estipula que nenhum país pode formalmente sair do acordo antes de novembro de 2020.

“O regime Trump precisa se afastar e não fazer o resto do mundo de refém da inépcia do presidente”, disse Ian Fry, que representa Tuvalu, uma pequena nação no Pacífico, sob o risco de tempestades e inundações.

Ele disse à Reuters que as políticas pró-carvão de Trump e os questionamentos se as mudanças climáticas são causadas pela emissão de gases de efeito estufa podem prejudicar a emergência da reunião entre representantes oficiais e ministros do Meio-Ambiente.

A Casa Branca não respondeu aos pedidos por comentários, e o Departamento de Estado não programou uma entrevista coletiva antes da reunião, como faz tradicionalmente.

Este ano deve ser o segundo mais quente desde que isso começou a ser registrado, no século 19, atrás de 2016.

Cientistas afirmam que o aumento das temperaturas resultará em furacões mais poderosos, enchentes e incêndios.

Mas o delegado americano, em reuniões preparatórias, afirmou que fará um papel positivo em Bonn, disse Nazhat Shameen Khan, negociadora chefe de Fiji, que será a presidenta da reunião.

A abordagem dos EUA passa “sinais positivos... não será uma COP destrutiva”, disse ela, usando a abreviação de Conferência das Partes, das Nações Unidas sobre mudança do clima.

Não está claro se algum líder político dos Estados Unidos comparecerá.

Por Alister Doyle e Nina Chestney

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below