6 de Novembro de 2017 / às 14:08 / em um mês

ONU alerta que 2017 será um dos três anos mais quentes da história

BONN, Alemanha (Reuters) - Este ano será um dos três mais quentes já registrados, um novo sinal da mudança climática provocada pelo homem, que está agravando “eventos climáticos extraordinários” como furacões, secas e inundações, alertou a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira.

Praia lotada é vista em dia de calor em Dalian, na província de Liaoning, na China 16/08/2015 REUTERS/Stringer

O relatório da ONU foi elaborado como diretriz para as quase 200 nações que se reúnem em Bonn, na Alemanha, entre os dias 6 e 17 de novembro na tentativa de fortalecer o acordo climático de Paris de 2015 apesar da promessa dos Estados Unidos de se desligarem do pacto.

“2017 está a caminho de ficar entre os três anos mais quentes”, disse a Organização Meteorológica Mundial (OMM), projetando que as temperaturas de superfície médias ficarão um pouco menos escaldantes depois de um recorde em 2016 e aproximadamente iguais às de 2015, o ano anterior mais quente.

E 2017 seria o mais quente já registrado sem o El Niño, evento natural que libera calor do Oceano Pacífico aproximadamente a cada cinco anos, comunicou. O El Niño elevou as temperaturas globais em 2015 e 2016.

“Testemunhamos eventos climáticos extraordinários”, disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, em um comunicado relativo a 2017, ressaltando furacões intensos no Atlântico e no Caribe, temperaturas acima dos 50 graus Celsius no Paquistão, Irã e Omã, enchentes de monção na Ásia e secas na África Oriental.

“Muitos destes eventos --e estudos científicos detalhados determinarão exatamente quantos-- trazem o sinal delator da mudança climática causada pelas concentrações maiores de gases de efeito estufa das atividades humanas”, afirmou.

A reunião de Bonn deve elaborar um “livro de regras” para o Acordo de Paris, que almeja acabar com a era dos combustíveis fósseis na segunda metade do século mudando a matriz da economia mundial para energias mais limpas, como a eólica e a solar.

“Estas descobertas sublinham os riscos crescentes para pessoas, economias e o próprio tecido da vida na Terra se não entrarmos nos eixos com as metas e ambições do Acordo de Paris”, disse Patricia Espinosa, secretária-executiva de Mudança Global do Clima, da ONU, que preside a cúpula de Bonn.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below