20 de Novembro de 2017 / às 13:15 / em 21 dias

Serial killer Charles Manson morre aos 83 anos nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - Charles Manson, líder de culto que orquestrou uma série de assassinatos horripilantes no sul da Califórnia por sua “família” de jovens seguidores, destruindo o ethos de paz e amor do final da década de 1960, morreu no domingo, disseram autoridades da prisão. Ele tinha 83 anos.

Manson morreu de causas naturais na noite de domingo no hospital de Kern County, disse num comunicado o Departamento de Correções e Reabilitações da Califórnia. Não foram dados mais detalhes das circunstâncias da sua morte.

Ele vinha cumprindo prisão perpétua numa prisão nas promiximidades de Cororan por ordenar o assassinato de nove pessoas, incluindo a atriz Sharon Tate.

Muito tempo depois que Manson desapareceu das manchetes, ele continuava como um símbolo do terror que ele desencadeou no verão de 1969.

“O próprio nome Manson tornou-se uma metáfora para o mal”, disse ao Los Angeles Times em 1994 o falecido Vincent Bugliosi, que processou Manson.

Uma fotografia recente mostrava o rosto do assassino com barba grisalha e cicatriz de uma suástica que ele esculpiu em sua testa décadas antes.

Manson se tornou um dos mais notórios crimosos do século 20 quando ele gastou a maior parte de sua juventude, quando ele dirigiu suas seguidoras, principalmente jovens, para assassinar sete pessoas no que os procuradores disseram ser parte de um plano para incitar a guerra racial.

Tate

Tate, com 26 anos e oito meses de gravidez, foi esfaqueada 16 vezes no início da manhã de 9 de agosto de 1969, por membros do culto de Manson na casa alugada da encosta que ela compartilhava com seu marido, o cineasta Roman Polanski, na área de Benedict Canyon de Los Angeles.

Quatro amigos do casal de celebridades, incluindo a herdeira do café, Abigail Folger, e o cabeleireiro Jay Sebring, também foram esfaqueados ou mortos naquela data por seguidores de Manson, que rabiscaram a palavra “Porco” com sangue na porta da frente da casa antes de partir. Polanski estava ausente na Europa na época.

Na noite seguinte, membros do grupo de Manson apunhalaram o dono do supermercado Leno, LaBianca, e sua esposa Rosemary até a morte, usando seu sangue para escrever “Morte aos Porcos” e “Healter Skelter” - uma referência mal escrita para a música dos Beatles “Helter Skelter” - nas paredes e na porta da geladeira.

Embora Manson não tenha matado pessoalmente nenhuma das sete vítimas, ele foi considerado culpado ao pedir seus assassinatos.

Mais tarde, ele foi condenado por ordenar os assassinatos do professor de música Gary Hinman, esfaqueado até a morte em julho de 1969, e o dublê Donald “Shorty” Shea, esfaqueado e espancado em agosto.

Manson foi condenado à morte pelos assassinatos de Tate-LaBianca, mas sua sentença foi comutada por prisão perpétua depois que o Supremo Tribunal da Califórnia aboliu a pena capital no estado em 1972.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below