21 de Novembro de 2017 / às 16:17 / em um mês

Vaticano e China compartilham obras de arte em tentativa de reparar laços

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O Vaticano e a China irão compartilhar pinturas, vasos e esculturas em uma tentativa de reparar laços frequentemente tensos através da “diplomacia da arte”, afirmaram autoridades nesta terça-feira.

Quarenta obras do Vaticano serão exibidas na Cidade Proibida de Pequim e 40 da China poderão ser vistas em museus do Vaticano em exposições simultâneas sem precedentes que acontecerão em março, disseram autoridades de arte dos dois países, em coletiva de imprensa.

“Será um evento que supera fronteiras e o tempo e que une diferentes culturas e civilizações”, disse Zhu Jiancheng, chefe do China Culture Investment Fund, fundo apoiado pelo governo chinês.

“Isso irá fortalecer a amizade entre a China e o Vaticano e favorecerá a normalização das relações diplomáticas”, disse sobre o projeto, no qual os dois lados emprestarão obras de arte um para o outro.

As relações entre o Vaticano e Pequim têm sido tensas há décadas.

Os católicos chineses são divididos entre aqueles fiéis ao papa, e aqueles que fazem parte da igreja apoiada pelo Estado conhecida como a Associação Patriótica Católica Chinesa.

A principal disputa que impede os laços diplomático é a insistência do Vaticano de que o papa --e não o governo-- deva ser responsável por nomear os bispos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below