June 11, 2018 / 9:23 PM / 4 months ago

Impasse de mãe e autoridades britânicas agita debate sobre maconha medicinal

LONDRES (Reuters) - A mãe de um menino epiléptico que viajou ao Canadá para comprar medicamento à base de maconha que, segundo ela, está mantendo o filho vivo teve seus suprimentos confiscados pelas autoridades alfandegárias britânicas em seu retorno nesta segunda-feira.

Charlotte Caldwell e o filho em Londres 11/6/2018 REUTERS/Peter Nicholls

O caso desencadeou um debate sobre o uso medicinal da maconha, uma droga que é ilegal no Reino Unido e que as autoridades britânicas não reconhecem como tendo qualquer benefício medicinal.

Billy Caldwell, 12 anos, recebia o óleo medicinal de maconha por prescrição médica há pouco mais de um ano, mas os suprimentos acabaram depois que o Home Office (Ministério do Interior) ordenou ao médico que parasse de prescrevê-lo.

A mãe de Billy, Charlotte Caldwell, diz que sem o óleo de maconha, o filho tem até 100 ataques por dia, cada um dos quais potencialmente fatal.

Mãe e filho, que moram na província britânica da Irlanda do Norte, viajaram para o Canadá no fim de semana para receber mais medicamentos, mas foram apreendidos quando chegaram ao aeroporto de Heathrow, nesta segunda-feira de manhã.

“Só vou dar meia-volta e ir buscar mais, e continuarei fazendo isso até que as autoridades do Reino Unido entendam”, disse Charlotte Caldwell em um comunicado. “Eu entendo que eu prefiro ter meu filho vivo ilegalmente do que legalmente morto. Esse é o cenário para o qual a frase ‘sem cérebro’ foi inventada.”

O Ministério do Interior disse que simpatizava com o que chamou de situação difícil e rara de Billy Caldwell e sua família, mas a força da fronteira tinha o dever de impedir que substâncias proibidas entrassem no Reino Unido.

De acordo com a lei britânica, a maconha é listada como droga do anexo 1, o que significa que ela não é reconhecida como tendo valor terapêutico. Os medicamentos do Anexo 1 podem ser usados ​​para fins de pesquisa e ensaios clínicos, mas apenas sob uma licença do Ministério do Interior.

O Ministério do Interior convidou Charlotte Caldwell para conhecer Nick Hurd, um ministro júnior encarregado do policiamento, para discutir o assunto.

Caldwell recebeu apoio de Dan Poulter, membro do parlamento do Partido Conservador.

“A lei atual é ridícula; há evidências crescentes de que os produtos de maconha usados ​​de forma medicinal podem ser úteis no tratamento de várias condições, mas ainda são vistos pelo prisma da ilegalidade aqui no Reino Unido”, disse Poulter em um comunicado de representantes de Caldwell.

Por Estelle Shirbon

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below