June 26, 2018 / 11:14 PM / 5 months ago

Ex-chefe da campanha de Trump perde chance de ter acusações suspensas em Virgínia

Paul Manafort chega a tribunal em Washington 15/06/2018 REUTERS/Jonathan Ernst

WASHINGTON (Reuters) - O ex-gerente de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Paul Manafort, teve um grande prejuízo nesta terça-feira, quando um juiz federal que já havia expressado anteriormente alguma simpatia por Manafort se recusou a suspender acusações apresentadas contra ele pelo procurador especial Robert Mueller.

O juiz T.S. Ellis, da Corte Distrital dos EUA para o distrito leste de Virgínia, decidiu que Mueller foi nomeado devidamente pelo vice-secretário de Justiça, Rod Rosenstein, em maio de 2017 e que possui autoridade para processar Manafort.

Ele também revelou que um memorando sigiloso de agosto de 2017 escrito por Rosenstein autorizou Mueller a investigar alegações de que Manafort “cometeu um crime ou crimes ao agir em conluio com autoridades do governo russo no que diz respeito aos esforços do governo russo para interferir na eleição de 2016”.

Um porta-voz de Manafort não quis comentar.

“Porque a nomeação do procurador especial é consistente tanto com exigências constitucionais relacionadas à nomeação de autoridades, quanto às exigências estatuárias regendo a autoridade de conduzir litígios criminais em nome dos Estados Unidos, o procurador especial possuía autoridade legal para investigar e para processar nesta questão e rejeição da acusação de substituição não se justifica”, escreveu Ellis em sua decisão.

A decisão desta terça-feira de Ellis marca a segunda vez que um juiz federal manteve o poder de procuração de Mueller – um padrão que pode ter implicações importantes e de amplo alcance à medida que ele continua sua investigação sobre se a campanha de Trump conspirou com a Rússia.

Anteriormente, a juíza Amy Berman Jackson, do Distrito de Colúmbia, também havia se recusado a rejeitar acusações contra Manafort, após seus advogados tentarem desconsiderar a investigação de Mueller ao acusar Rosenstein de violar regras do Departamento de Justiça sobre nomeação de procuradores especiais.

Manafort enfrenta duas acusações em Washington e Alexandria, na Virgínia, apresentadas a partir da investigação de Mueller sobre possível conluio entre a campanha presidencial de Trump em 2016 e a Rússia.

Seu julgamento na Virgínia começa em julho e seu julgamento em Washington está marcado para setembro. 

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below