June 28, 2018 / 8:28 PM / 5 months ago

Manifestantes ocupam prédio do Senado dos EUA contra política imigratória de Trump

WASHINGTON (Reuters) - Várias centenas de ativistas ocuparam um prédio de escritórios do Senado dos Estados Unidos nesta quinta-feira com gritos que condenam a posição de “tolerância zero” do presidente norte-americano, Donald Trump, sobre imigração ilegal, antes de serem presos por recusar ordens policiais de deixar o país.

Manifestantes protestam contra política de imigração do governo Trump 28/06/2018 REUTERS/Jonathan Ernst

Os manifestantes, em sua maioria mulheres vestidas de branco, estavam sentados no chão de mármore do edifício do Senado e se enrolaram em cobertores de prata. Os cobertores pareciam ser uma referência a cobertores similares dados a crianças imigrantes em centros de detenção vistos em fotografias amplamente divulgadas.

“Falem alto, falem claro, imigrantes são bem-vindos aqui”, bradava a multidão de cerca de 500 manifestantes.

“Este é o último aviso”, disse um membro da Polícia do Capitólio aos manifestantes. “Se vocês não quiserem ser presos, precisam sair.”

A polícia fez os manifestantes se alinharem contra a parede em pequenos grupos, e confiscaram seus cobertores e placas antes de prendê-los enquanto outros manifestantes aplaudiam.

Dezenas de funcionários do Senado lotaram o mezanino superior, olhando o protesto abaixo.

As senadoras Mazie Hirono, Kirsten Gillibrand e Pramila Jayapal e o senador Jeff Merkley, democratas que têm criticado as políticas de imigração de Trump, passaram pela polícia e conversaram com algumas das mulheres. Gillibrand levantou uma placa que dizia: “Acabar com detenções agora.”

A Marcha das Mulheres, um movimento iniciado quando Trump tomou posse em 2017 e se disseminou mundialmente, pediu às mulheres que corressem o risco de ser presas no protesto desta quinta-feira.

    Ao passarem diante do Trump International Hotel, que é administrado pela empresa do presidente, elas entoaram “Vergonha! Vergonha! Vergonha!”

A Marcha das Mulheres é parte de uma onda de ações contra Trump, cuja gestão começou a processar em maio todos os adultos que cruzem a fronteira sem autorização.

Mais de 2.000 crianças que chegaram ilegalmente nos Estados Unidos com parentes adultos foram separadas de suas famílias e colocadas em centros de detenção ou com famílias adotivas nos Estados Unidos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below