March 10, 2019 / 5:04 PM / 6 months ago

Rouhani busca fortalecer influência do Irã em viagem a Bagdá

BAGDÁ/GENEBRA (Reuters) - A visita do presidente Hassan Rouhani ao Iraque nesta semana é uma forte mensagem aos Estados Unidos e seus aliados regionais de que o Irã ainda domina Bagdá, uma arena importante para a tensão crescente entre Washington e Teerã.

A primeira visita presidencial iraniana ao Iraque desde 2013 também pretende sinalizar ao governo do presidente Donald Trump que Teerã mantém sua influência em grande parte da região, apesar das sanções dos EUA.

“Irã e Iraque são vizinhos e nenhum país pode interferir em suas relações”, disse o ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, ao chegar a Bagdá para preparações para a visita.

A viagem de três dias de Rouhani a partir de segunda-feira inclui reuniões com o presidente e primeiro-ministro iraquiano, visitas a locais sagrados xiitas e uma reunião com o clérigo xiita Ali Ayatollah Ali al-Sistani, informou a mídia estatal iraniana.

Rouhani deixou claro na semana passada a dívida que acredita que Bagdá deve a Teerã pelo apoio na batalha para derrotar o Estado Islâmico. As forças iranianas e as milícias que eles apoiaram desempenharam um papel crucial na derrota do grupo no Iraque e na Síria.

“Se o apoio da República Islâmica do Irã não existisse, então Bagdá e a região do Curdistão teriam caído definitivamente e o Daesh (Estado Islâmico) dominaria a região”, disse ele em comentários publicados em seu site oficial.

O Irã se apoia principalmente de outros altos funcionários para conduzir seus negócios com o Iraque, com os quais compartilha uma fronteira de quase 1.500 quilômetros. O mais proeminente deles foi o comandante da Guarda Revolucionária Qassem Suleimani, que foi fundamental na direção da batalha contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Mas, enquanto tenta conter a pressão das sanções dos EUA, o Irã está tentando reforçar sua influência política e econômica ao longo de um corredor de território que efetivamente controla de Teerã ao Mediterrâneo, passando pelo Iraque, Síria e Líbano.

“Teerã e seus aliados em Bagdá e Damasco conseguiram a vitória na guerra contra o Estado Islâmico, mas a República Islâmica corre o risco de perder a paz”, disse Ali Alfoneh, membro sênior do Instituto dos Estados Árabes do Golfo, em Washington.

“Além das empresas russas, as empresas dos Emirados Árabes Unidos estão tentando agressivamente se firmar no Iraque e na Síria, o que privaria as empresas iranianas de colher o fruto de seu esforço na era da guerra.”

A influência do Irã no Iraque será difícil de desalojar, no entanto. Através de políticos iraquianos e grupos paramilitares aliados, emergiu como a força dominante após a invasão liderada pelos EUA que derrubou Saddam Hussein em 2003.

O Irã oficialmente não tem presença militar no Iraque, mas apoia seus mais poderosos grupos paramilitares xiitas. Um agrupamento de todas as milícias xiitas do Iraque é estimado em 150.000 combatentes.

Na semana passada, Washington colocou na lista negra outra milícia apoiada pelo Irã que ajudou a criar uma rota de fornecimento através do Iraque para Damasco. Os Estados Unidos têm cerca de 5.200 soldados estacionados no Iraque.

Teerã também tem aliados poderosos no parlamento iraquiano, cujas tentativas de aprovar uma lei forçando as tropas norte-americanas a deixar o país podem ser ajudadas pela retórica beligerante anti-Irã de Trump - especialmente comentários ridicularizados pelos líderes iraquianos de que as forças dos EUA no Iraque, ostensivamente lá para a batalha contra o Estado Islâmico, podem ser usado para “assistir ao Irã”.

Reportagem adicional de Bozorg Sharafedin em Londres, Parisa Hafezi e redação de Dubai, Ahmed Rasheed em Bagdá

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below