October 15, 2019 / 11:32 PM / a month ago

Líder de Hong Kong descarta concessões diante da crescente violência

Chefe executiva de Hong Kong, Carrie Lam. 15/10/2019. REUTERS/Tyrone Siu

HONG KONG (Reuters) - A líder de Hong Kong, Carrie Lam, descartou nesta terça-feira fazer concessões a manifestantes pró-democracia diante da crescente violência, que a polícia disse estarem agora “arriscando vidas”, ao citar a detonação de uma pequena bomba.

“Eu já disse em muitas ocasiões que a violência não nos dará a solução. A violência só geraria mais violência”, afirmou Lam em entrevista coletiva.

“Que as concessões sejam feitas simplesmente por causa da escalada da violência só vai piorar a situação. Por outro lado, devemos considerar todos os meios para acabar com a violência.”

Os manifestantes têm cinco exigências principais, que incluem o sufrágio universal e uma investigação independente sobre o que dizem ter sido uma força excessiva da polícia para lidar com os protestos.

Hong Kong tem sido palco de inquietação há quatro meses, com grandes passeatas e, às vezes, protestos violentos envolvendo gás lacrimogêneo, coquetéis molotov e disparos de armas de fogo, devido a preocupações de que Pequim esteja apertando o controle sobre a cidade e minando direitos democráticos.

Pequim rejeita a acusação e acusa países ocidentais, como Estados Unidos e Reino Unido, de causarem problemas.

A agitação representa o maior desafio popular para o presidente chinês, Xi Jinping, desde que chegou ao poder em 2012. Ele alertou que qualquer tentativa de dividir a China seria esmagada.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below