December 18, 2019 / 10:21 PM / 4 months ago

Lição cívica ou julgamento enganoso? Momentos-chave no debate de impeachment na Câmara dos EUA

WASHINGTON (Reuters) - Uma Câmara dos Deputados amargamente dividida nos Estados Unidos mergulhou nesta quarta-feira num duro debate de impeachment antes da votação histórica sobre duas acusações contra o presidente Donald Trump de abusar de seu poder e obstruir o Congresso.

18/12/2019 REUTERS/Kevin Lamarque

Veja a seguir alguns destaques das controvérsias entre parlamentares democratas e republicanos antes da votação.

UMA LIÇÃO CÍVICA

A presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi, abriu seis horas de debate sobre o impeachment na Casa, controlada pelo Partido Democrata, afirmando: “Hoje é uma lição cívica nacional, embora uma triste lição.”

“Eu abro o debate de maneira solene e triste sobre o impeachment do presidente dos Estados Unidos. Se não agirmos agora, estaríamos sendo negligentes em nosso dever”, disse a líder democrata, chamando o Congresso dos EUA de “guardiões da Constituição”.

INEVITABILIDADE

O deputado Doug Collins, principal republicano no Comitê Judiciário, disse que os democratas começaram a planejar o impeachment de Trump antes mesmo de suas negociações com a Ucrânia, que formam o núcleo do caso de impeachment, se tornarem públicas em setembro.

“Para os democratas, o que importa é política, não fatos”, afirmou Collins no plenário da Câmara.

NÃO SE PODE ESPERAR

O presidente do Comitê Judiciário da Câmara, Jerrold Nadler, disse que o impeachment não é uma tentativa de derrubar a vitória de Trump em 2016. Mas ele declarou que as ações de Trump ameaçam a integridade das eleições de novembro de 2020.

“O Congresso não pode esperar até a próxima eleição para tratar dessa conduta”, disse ele.

Atualmente, existem 15 candidatos disputando a indicação do Partido Democrata para enfrentar Trump em novembro de 2020. Cinco deles são senadores dos EUA que atuarão como jurados no julgamento de impeachment.

PATRIOTAS DEVEM PREVALECER

O deputado republicano Clay Higgins, que no ano passado derrotou seis oponentes na Louisiana para ganhar um segundo mandato com o apoio de Trump, alertou que “os Estados Unidos estão sendo gravemente feridos por essa traição”, referindo-se aos procedimentos de impeachment.

“Nunca entregaremos nossa nação a políticos de carreira e burocratas. Nossa República precisa sobreviver a essa ameaça. Os americanos patriotas precisam prevalecer”, disse Higgins.

PERIGO CLARO E PRESENTE

A deputada democrata Veronica Escobar disse que o impeachment representa “uma grande tragédia e um momento de verdade” para Trump.

“Testemunhamos o presidente dos Estados Unidos abusar de seu cargo público para obter ganhos políticos pessoais e convidar governos estrangeiros a interferir em nossas eleições”, disse Escobar, acrescentando que as evidências mostram que ele é um “perigo claro e presente” para eleições justas e segurança nacional.

JULGAMENTO ENGANOSO

O deputado republicano Barry Loudermilk disse que Jesus foi tratado com mais justiça antes de sua crucificação do que os democratas trataram Trump durante o processo de impeachment.

“Durante esse julgamento, Pôncio Pilatos concedeu mais direitos a Jesus do que os democratas concederam a esse presidente nesse processo”, afirmou Loudermilk.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below