December 22, 2019 / 5:58 PM / 4 months ago

Primeiro-ministro da Índia diz que lei de cidadania não é anti-muçulmana e protestos continuam pelo país

NOVA DÉLHI (Reuters) - Após dias de protestos violentos e até mortais pela Índia contra uma nova lei de cidadania que, segundo críticos, discrimina muçulmanos, o primeiro-ministro Narendra Modi liderou um comício no domingo para seu partido nacionalista hindu na capital do país. 

As eleições estaduais do Estado de Nova Délhi no ano que vem serão o primeiro grande teste eleitoral para o partido Bharatiya Janata, de Modi, após as grandes manifestações vistas após o Parlamento aprovar o Ato de Emenda de Cidadania no dia 11 de dezembro. 

Milhares de pessoas participaram do comício de Modi, no qual ele acusou a oposição de distorcer os fatos e provocar os protestos. 

“A lei não impacta 1,3 bilhão de indianos, e eu devo garantir aos cidadãos muçulmanos da Índia que essa lei não irá mudar nada para eles”, disse Modi, acrescentando que seu governo introduz reformas sem qualquer viés religioso. 

“Nós nunca perguntamos a ninguém se frequentam um templo ou uma mesquita, quando tratamos de implementar programas de bem-estar social”, disse.     

Reportagem de Devjyot Ghoshal em Nova Délhi, Rupam Jain em Mumbai

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below