December 27, 2019 / 9:34 PM / 5 months ago

WIDER IMAGE-Família mórmon do México tem Natal dolorido após massacre de mulheres e crianças

COLÔNIA LEBARON, México (Reuters) - (Galeria de imagens reut.rs/2SChpC1)

As sepulturas de Rhonita Miller e quatro de seus filhos que foram assassinados, fica em um cemintério em LeBaron, no México 21/12/2019 REUTERS/Alexandre Meneghini

Cercado por dezenas de seus descendentes, Adrián LeBaron deu graças a Deus enquanto se preparava para celebrar o Natal pela primeira vez desde que supostos assassinos do cartel de drogas mexicano mataram sua filha e quatro netos no mês passado.

Patriarca de uma grande família mórmon fundamentalista, LeBaron foi colocado sob os holofotes da mídia quando homens armados mataram nove mulheres e crianças no Estado de Sonora, no norte do México, em 4 de novembro, provocando indignação nos dois lados da fronteira.

LeBaron, que tem 35 filhos vivos, 87 netos e um bisneto, chorou ao se lembrar da filha Rhonita Miller, 30 anos, cujo corpo carbonizado foi encontrado após o massacre em um veículo incendiado em uma trilha de terra perto de sua casa.

“Agradecemos por nos dar forças para resistir às coisas que trouxeram dor às nossas almas”, disse o homem de 58 anos, em espanhol, ao lado de Shalom, mãe de Rhonita.

Antes de a família se sentar para um jantar com peru assado e comida mexicana, lembranças de Rhonita e seus filhos mortos foram colocados para adornar a espaçosa casa no topo de uma colina no Estado de Chihuahua, ao norte, com uma vista imponente de fazendas e bosques.

No final da noite, LeBaron cantou uma música para Rhonita em memória de sua última dança em uma celebração mexicana em setembro.

Sua irmã Lian usava uma pulseira feita de duas chupetas usadas pelos gêmeos de Rhonita, Titus e Tiana, de sete meses, enquanto outros membros da família usavam anéis de metal retirados dos destroços do carro no qual a família foi morta.

Xavier, filho de Lian, pensou em seu primo morto, Howard, de 12 anos. “Sinto muita falta dele”, disse o garoto.

O México prendeu vários suspeitos ligados ao massacre, no qual investigadores acreditam que mulheres e crianças foram envolvidos em uma disputa entre cartéis de drogas em guerra. A violência de gangues no México já matou mais de 200.000 pessoas nos últimos 12 anos.

Os LeBarons chegaram dos Estados Unidos ao México pela primeira vez no início do século 20, quando suas crenças sobre a poligamia os colocaram em conflito com as autoridades norte-americanas. Desde que o avô de Adrian fundou a vila de Colonia LeBaron em 1941, grupos violentos de crime organizado têm sido uma ameaça para suas atividades agrícolas, disse ele.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below