January 1, 2020 / 1:17 PM / 6 months ago

Polícia atira gás lacrimogêneo contra manifestantes em marcha de ano novo em Hong Kong

HONG KONG (Reuters) - Uma marcha que atraiu dezenas de milhares de manifestantes contra o governo em Hong Kong no Dia de Ano Novo se transformou em cenas caóticas, quando a polícia disparou várias rodadas de gás lacrimogêneo e canhões de água em multidões, incluindo famílias, antes de interromper o evento.

Manifestantes antigoverno se sentam após serem detidos durante uma manifestação no dia de ano novo para pedir melhor governança e reformas democráticas em Hong Kong, China. 01/01/2020. REUTERS/Navesh Chitrakar

A violência eclodiu durante a marcha, em grande parte pacífica, quando grupos de cidadãos pressionaram as autoridades por novas concessões na cidade governada pela China.

No distrito de Wanchai, alguns manifestantes fizeram pichações com spray e destruíram caixas eletrônicos em uma agência bancária do HSBC quando a polícia de choque se aproximou, dispersando multidões com spray de pimenta em um confronto tenso. O gás lacrimogêneo foi disparado contra a multidão, fazendo algumas crianças chorarem.

Os manifestantes, alguns com máscaras de gás e vestidos de preto, se reagruparam e formaram suas próprias fileiras quando a polícia bloqueou as estradas para impedir que grandes multidões concluíssem a marcha à medida que a noite caía.

A atmosfera ficou tensa em vários distritos da ilha de Hong Kong, quando centenas de manifestantes entraram, formando bloqueios de estradas, incendiando e lançando algumas bombas de coquetel molotov. Correntes humanas ajudaram a transportar suprimentos para as pessoas na linha de frente, incluindo guarda-chuvas e tijolos.

Os manifestantes direcionaram sua ira ao grupo bancário global HSBC, alegando uma ligação entre a prisão de quatro membros de um grupo que levantou recursos para apoiar os manifestantes e o fechamento anterior de uma conta do HSBC vinculada ao grupo. O HSBC nega qualquer conexão.

Um leão de bronze na sede do banco estava manchado de tinta vermelha e chamuscado pelo fogo.

Um porta-voz do banco disse: “Condenamos veementemente os atos de vandalismo e danos direcionados às nossas instalações repetidamente nos últimos dias. Acreditamos que estes são injustificados”.

Mais cedo, sob nuvens cinzentas, cidadãos jovens e idosos, muitos vestidos de preto e alguns mascarados, exibiam cartazes como “A liberdade não é livre” antes de partirem.

“É difícil dizer ‘feliz ano novo’ porque as pessoas de Hong Kong não estão felizes”, disse um homem chamado Tung, que estava andando com seu filho de dois anos, mãe e sobrinha.

“A menos que as cinco exigências sejam atendidas e a polícia seja responsabilizada por sua brutalidade, então não podemos ter um feliz ano novo”, acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below