for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Premiê britânico sofre derrota em legislação do Brexit pela 1ª vez desde eleição

Membros da Câmara dos Lordes participam da abertura dos trabalhos legislativos, em dezembro 19/12/2019 Aaron Chown/Pool via REUTERS

LONDRES (Reuters) - O governo do primeiro-ministro britânico Boris Johnson foi derrotado no Parlamento pela primeira vez desde a eleição de dezembro, nesta segunda-feira, quando a câmara alta votou a favor de uma medida para proteger os direitos dos cidadãos da União Europeia no Reino Unido após o Brexit.

Os conservadores de Johnson conquistaram uma grande maioria na câmara baixa, a Câmara dos Comuns, na votação de 12 de dezembro, e os parlamentares aprovaram rapidamente a legislação necessária para ratificar seu acordo de saída da UE com Bruxelas no início deste mês.

A legislação está passando agora pela Câmara dos Lordes, onde o governo não tem maioria. Embora não seja esperado que a câmara alta bloqueie o projeto, ela está tentando fazer alterações.

Os membros da Câmara dos Lordes aprovaram por 270 votos a 229 uma mudança proposta pelos democratas liberais pró-UE que daria aos cidadãos europeus elegíveis no Reino Unido o direito automático de permanecer após o Brexit, em vez de terem que fazer uma solicitação ao governo para isso.

Também garantiria que eles recebessem prova física de seu direito de permanecer. O governo disse apenas que as pessoas receberão um “status digital seguro” vinculado ao passaporte.

Na semana passada, o coordenador do Brexit no Parlamento Europeu, Guy Verhofstadt, afirmou que o Reino Unido havia dito que estava estudando a possibilidade de fornecer um documento físico aos cidadãos da UE, mas o porta-voz de Johnson disse que não tinha conhecimento de nenhum plano.

Reportagem de Kylie MacLellan

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up