for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Próximo censo do Nepal contará pessoas LGBT+ pela primeira vez

Integrantes da Parada Gay em Katmandu, Nepal 29/6/2019 REUTERS/Navesh Chitrakar

KATHMANDU/NOVA DÉLHI (Thomson Reuters Foundation) - O Nepal contará pessoas LGBT+ pela primeira vez em seu próximo censo, uma medida que, segundo disseram ativistas nesta segunda-feira, pode ajudar minorias sexuais a obterem mais acesso aos sistemas de educação e saúde.

O censo agendado para junho de 2021 ajudará a acabar com o estigma e os desafios que as pessoas LGBT+ enfrentam para utilizar os sistemas de apoio e bem-estar, disse Dhundi Raj Lamichhane, uma autoridade do Escritório Central de Estatísticas.

Ele disse que as pessoas precisarão se identificar, e aos seus familiares, como “masculino”, “feminino” ou “outros (comunidade/gênero sexual)”.

Não haverá opções adicionais para escolher com qual orientação sexual elas se identificam no censo, que passará por um teste em março.

A mudança permitirá o planejamento de benefícios sociais e outros direitos, incluindo cotas governamentais, garantidos às pessoas LGBT+ na Constituição aprovada em 2015, disse Lamichhane à Thomson Reuters Foundation.

Mas os ativistas de direitos dos gays expressaram preocupação com o plano do governo nepalês de combinar orientação sexual com identidade de gênero na pesquisa.

Eles citaram o último censo de 2011, no qual as autoridades acrescentaram uma categoria de “terceiro gênero” pela primeira vez e para contar todas as pessoas LGBT+ aí incluídas.

Mas o número de pessoas dispostas a se identificar como de terceiro gênero a um pesquisador do censo – ou induzir seus familiares a fazê-lo – é pequeno demais para ser incluído na contagem final da população, disse Kyle Knight, da entidade Human Rights Watch.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up