for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Finlândia igualará licença remunerada de pais à das mães

Ministra da Saúde da Finlândia, Aino-Kaisa Pekonen 05/02/2020 Lehtikuva/Vesa Moilanen via REUTERS

HELSINQUE (Reuters) - O governo de centro-esquerda liderado por mulheres da Finlândia planeja quase dobrar a duração da licença-paternidade para conceder aos novos pais o mesmo tempo remunerado longe do trabalho que as novas mães, segundo anuncio feito nesta quarta-feira.

A licença-paternidade remunerada será ampliada para quase sete meses, o que a alinha à licença-maternidade. Cerca de metade dela pode ser disponibilizada ao outro cônjuje.

As mulheres grávidas também têm direito a um mês de licença-gestante antes da data prevista para o parto.

A ministra da Saúde e Temas Sociais, Aino-Kaisa Pekonen, disse que o objetivo da “reforma radical” é tanto melhor a igualdade de gênero quanto reforçar a taxa de natalidade em declínio.

“Isto permite uma igualdade maior entre os pais e diversidade entre as famílias”, disse ela, observando que outros países, como Suécia e Islândia, testemunharam aumentos nas taxas de natalidade depois de oferecerem mais tempo de licença aos pais.

A coalizão de governo da Finlândia é composta por cinco partidos, todos liderados por mulheres, das quais quatro têm menos de 35 anos de idade.

Aumentar a igualdade de gênero é uma das metas do governo desde que este tomou posse em dezembro.

Por Anne Kauranen

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up