February 9, 2020 / 7:09 PM / in 4 months

Eleitores suíços apoiam lei anti-homofobia, mostra projeção

VIENA (Reuters) - Um referendo na Suíça abriu caminho para o país encerrar uma brecha nos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT), estendendo as leis que combatem o racismo para cobrir a orientação sexual, mostrou uma projeção neste domingo.

A conservadora Suíça, ao contrário de muitos de seus vizinhos da Europa Ocidental, ainda não possui leis que especificamente protegem lésbicas, gays e bissexuais da discriminação.

O Parlamento aprovou uma lei em 2018 para ampliar a aplicação dos estatutos contra o racismo, para que os infratores possam ser presos por até três anos. Mas os adversários da proposta obtiveram as 50.000 assinaturas necessárias sob o sistema de democracia direta da Suíça para colocar a questão em referendo, realizado neste domingo.

Aproximadamente 62% dos eleitores apoiaram a mudança, mostrou uma estimativa do instituto de pesquisa gfs.bern 30 minutos após o fechamento das urnas ao meio-dia local (8h da manhã no horário de Brasília). A projeção tem margem de erro de 3 pontos percentuais.

O governo apoiou a nova lei, com os pôsteres da campanha mostrando dois corações rosa se abraçando sob um guarda-chuva. Já os opositores enquadraram a mudança na lei como uma violação da liberdade de expressão.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below