for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Arábia Saudita multará em até U$133 mil pessoas que entrarem ocultando detalhes de saúde

Café vazio em Riad depois da decisão do governo da Arábia Saudita de proibir aglomerações em meio ao surto global de coronavírus 09/03/2020 REUTERS/Ahmed Yosri

DUBAI (Reuters) - A Arábia Saudita anunciou nesta segunda-feira que multará em até 500 mil riais (133 mil dólares) as pessoas que não revelarem informações relacionadas à sua saúde ou detalhes de viagens em seus pontos de entrada, em um esforço do reino do Golfo Pérsico para evitar a propagação do coronavírus.

No domingo, o reino impôs uma interdição temporária em Qatif, província petroleira do leste onde mora a maioria dos 15 indivíduos diagnosticados com a doença no país. Alguns não revelaram às autoridades que viajaram ao Irã ao voltarem à Arábia Saudita por outros países do Golfo.

A Arábia Saudita suspendeu as viagens a nove países, incluindo vizinhos árabes, nesta segunda-feira, e disse que adotará ações legais contra qualquer cidadão em viagem para o Irã, que relatou 237 mortes decorrentes do vírus também nesta segunda-feira.

O reino disse que a maioria dos indivíduos com coronavírus voltou do Irã ou do Iraque –-que abriga santuários xiitas-– ou interagiram com pessoas que visitaram a República Islâmica. Qatif tem uma grande população xiita.

“Todos os viajantes vindo ao reino em voos internacionais, gerentes e funcionários de outros meios de transporte têm que respeitar as diretivas de saúde locais e internacionais”, disse um comunicado do procurador público saudita.

Uma multa de até 500 mil riais será imposta a pessoas que as descumprirem, disse o texto, acrescentando que profissionais de transporte serão responsabilizados por qualquer consequência de suas violações.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up