for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Premiê do Japão diz que G7 endossa Olimpíada "completa", mas pesquisas apoiam adiamento

TÓQUIO (Reuters) - O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse nesta terça-feira que os líderes do G7 concordaram em apoiar uma Olimpíada “completa”, mas procurou desconversar quando foi indagado se algum dos colegas aventou a possibilidade de um adiamento.

17/03/2020 REUTERS/Issei Kato

Seus comentários vêm no momento em que se questiona cada vez mais se os Jogos podem ocorrer tal como planejados agora que a pandemia de coronavírus de rápida disseminação está causando a suspensão de negócios e atividades sociais em todo o mundo e pânico nos mercados financeiros.

Uma pesquisa nacional recente mostrou que a maioria dos japoneses acha que a Olimpíada deveria ser adiada.

Mas o revezamento da tocha olímpica começará no Japão, tal como planejado, no final deste mês, disse o presidente-executivo do Comitê Organizador de Tóquio, Toshiro Muto, nesta terça-feira --mas partes dele serão fechadas ao público e alguns eventos foram cancelados devido ao surto de coronavírus.

A chamada “grande largada” do revezamento, que deveria começar no município de Fukushima, atingido pelo terremoto e desastre nuclear de março de 2011, acontecerá no dia 26 de março, mas sem espectadores, disse Muto.

Em uma reunião inédita por videoconferência com outros líderes do G7 para debater a pandemia de coronavírus, Abe contou ter dito a eles: “Estamos fazendo tudo em nosso poder para preparar (os Jogos), e queremos visar um evento completo como prova de que a humanidade consegue derrotar o novo coronavírus”.

Quando pressionando, durante um briefing, sobre a ocorrência de um debate sobre um adiamento, Abe repetiu a mesma fala.

Interpretando os comentários do premiê em uma coletiva de imprensa horas mais tarde, a ministra da Olimpíada, Seiko Hashimoto, disse que um evento “completo” significa sediar os Jogos neste verão, como programado, e com a presença do público.

Mas o secretário-chefe de gabinete, Yoshihide Suga, também driblou a pergunta sobre a ocasião dos Jogos, repetindo a postura governamental de que este continua a trabalhar com o Comitê Olímpico Internacional (COI), com os membros organizadores e com o governo de Tóquio nos preparativos.

Uma pesquisa do jornal Asahi publicada nesta terça-feira revelou que 63% das pessoas de todo o Japão disseram que os Jogos deveriam ser adiados, e que 23% disseram que deveria ocorrer como planejada inicialmente.

A Olimpíada está marcada para o período de 24 de julho a 9 de agosto.

Por Chang-Ran Kim, Kiyoshi Takenaka, Rocky Swift, Ju-min Park e Antoni Slodkowski

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up