for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Projeto de lei de reação ao coronavírus trava no Senado dos EUA; conversas continuam

WASHINGTON (Reuters) - A iniciativa do Senado dos Estados Unidos de aprovar um projeto de lei de mais de 1 trilhão de dólares de reação ao coronavírus continuava travada na noite de domingo, já que os democratas insistiam em mais dinheiro para ajudar governos estaduais e locais e hospitais, enquanto os republicanos pediram uma ação rápida para dar um sinal de encorajamento aos mercados financeiros.

Capitólio dos Estados Unidos, centro legislativo do governo norte-americano 20/03/2020 REUTERS/Mary F. Calvert

Mais cedo no domingo, o Senado não conseguiu os 60 votos necessários na Casa de 100 membros para fazer o plano republicano superar um obstáculo processual mesmo depois de dias de negociações, já que 47 senadores o aprovaram e 47 o rejeitaram.

Mais tarde no mesmo dia, o republicano Mitch McConnell, líder da maioria no Senado, anunciou que repetiria a votação na manhã desta segunda-feira, mas foi frustrado pelo líder democrata do Senado, Chuck Schumer.

Em reação, McConnell acusou os democratas de um “comportamento leviano” que poderia perturbar ainda mais os mercados financeiros e adiar a ajuda mais que necessária para combater o surto de coronavírus.

Mas os democratas fizeram pé firme, e Schumer classificou o plano republicano como “um fundo de resgate corporativo gigantesco sem prestação de contas”.

Em meio aos ataques partidários, Schumer disse que as negociações particulares estavam avançando. Eric Ueland, intermediário da Casa Branca com o Legislativo, disse aos repórteres que “um punhado” de discordâncias ainda precisava de solução.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, fez um bate e volta entre os gabinetes de McConnell e Schumer em busca de um acordo. A certa altura, ele também deu a entender aos repórteres que se estava fazendo progresso.

As negociações marcaram o terceiro esforço do Congresso para amenizar o impacto econômico de uma doença que já deixou mais de 33 mil pessoas doentes e ao menos 420 mortos no país, o que levou governadores a ordenar que quase um terço da população nacional fique em casa e suspendeu as atividades de muitos negócios.

Após dois projetos de lei de ajuda emergencial bem-sucedidos, a iniciativa mais recente inclui ajuda financeira para os norte-americanos comuns, pequenas empresas e indústrias afetadas gravemente, como as linhas aéreas.

Os democratas fizeram objeções ao projeto de lei dos republicanos no Senado durante o domingo – Schumer disse que ele tem “muitos, muitos problemas” e que beneficiará interesses corporativos à custa de hospitais, agentes de saúde, cidades e Estados.

A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, disse que seus colegas democratas começarão a elaborar um projeto de lei alternativo.

Por Richard Cowan, Susan Heavey, Arshad Mohammed e Andrea Shalal

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up