for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Netanyahu se isola depois de assessora ser diagnosticada com coronavírus

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu 14/03/2020 Gali Tibbon/Pool via REUTERS

JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, estava se isolando nesta segunda-feira porque uma assessora parlamentar foi diagnosticada com coronavírus, mas uma investigação inicial determinou que o líder de 70 anos dificilmente foi infectado, disseram autoridades.

Netanyahu deve ser submetido a um exame de coronavírus até terça-feira, segundo as autoridades. Um exame feito em 15 de março deu resultado negativo.

Os regulamentos do Ministério da Saúde de Israel geralmente exigem um isolamento de 14 dias para qualquer pessoa que se acredita ter ficado próxima de um portador, e a duração é reduzida de acordo com o número de dias transcorridos desde a suposta exposição.

A mídia israelense disse que, na semana passada, a assessora infectada esteve presente a uma sessão parlamentar à qual Netanyahu compareceu, assim como parlamentares de oposição com os quais ele tenta formar um governo de coalizão de emergência para ajudar a lidar com a crise do coronavírus.

“A avaliação preliminar é que não existe necessidade de o premiê se isolar, já que não teve contato próximo com a paciente nem se encontrou com ela”, disse uma autoridade israelense.

Em um comunicado subsequente, o funcionário disse que Netanyahu “decidiu que ele e sua equipe pessoal fiquem em isolamento até a investigação epidemiológica ser completada”.

Israel já relatou 4.347 casos e 15 mortes, e o Ministério da Saúde alertou que os mortos podem chegar a milhares.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up