for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Egito adia planos de capital administrativa e museu por coronavírus

CAIRO (Reuters) - O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, adiou neste sábado a transferência de funcionários públicos para uma nova capital administrativa de 2020 para 2021 devido à epidemia de coronavírus, em um revés para um projeto emblemático para Sisi que já enfrentou atrasos.

Sisi também adiou o lançamento de outros grandes projetos, incluindo o Grande Museu Egípcio e o Museu Nacional da Civilização Egípcia para o próximo ano, informou a Presidência em comunicado.

A decisão ocorreu “devido às circunstâncias e repercussões do processo de combate à disseminação do novo coronavírus, tanto em nível nacional quanto global”, afirmou o documento.

O primeiro grupo de funcionários públicos seria transferido em junho para o distrito governamental na nova capital administrativa ainda em construção, 45 km a leste do Cairo.

O governo de Sisi disse que deseja começar a administrar o Egito a partir da nova cidade em meados de 2020. Mas o projeto de 58 bilhões de dólares sofre para arrecadar fundos e enfrenta outros desafios após a saída de alguns investidores.

Reportagem adicional de Nadia El Gowely

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up