May 1, 2020 / 9:15 PM / in a month

Agência dos EUA autoriza remdesivir como tratamento de emergência para Covid-19

WASHINGTON (Reuters) - O antiviral remdesivir, da Gilead Science Inc, recebeu autorização de uso emergencial para o Covid-19 da agência de vigilância sanitária Food and Drug Administration (FDA) dos EUA na sexta-feira, abrindo caminho para o uso mais amplo do medicamento em mais hospitais nos Estados Unidos.

Durante uma reunião no Gabinete Oval da Casa Branca com o presidente Donald Trump, o executivo-chefe da Gilead, Daniel O’Day, chamou a medida de um primeiro passo importante e disse que a empresa estava doando 1,5 milhão de frascos da droga para ajudar os pacientes.

“Nos sentimos humildes com esse sendo um primeiro passo importante para ... pacientes hospitalizados. Queremos garantir que nada atrapalhe esses pacientes recebendo o medicamento, por isso decidimos doar cerca de 1,5 milhão de frascos”, disse.

A Gilead não respondeu imediatamente a uma solicitação sobre o preço que planeja cobrar pelo medicamento após o esgotamento dessas doações.

A autorização da FDA se aplica a pacientes hospitalizados com Covid-19 grave que necessitam de suplementação de oxigênio.

Gilead disse que o governo federal coordenará a doação e distribuição de remdesivir para hospitais nas cidades mais atingidas pelo Covid-19. Citando a oferta limitada do medicamento, a empresa disse que os hospitais com unidades de terapia intensiva e outros hospitais que o governo julgar mais necessitados receberão prioridade.

Gilead disse na quarta-feira que o medicamento, administrado por infusão intravenosa, ajudou a melhorar os resultados de pacientes com Covid-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus, e forneceu dados sugerindo que funcionou melhor quando administrado mais cedo no curso da infecção.

Dados divulgados esta semana por um estudo do National Institutes of Health mostraram que o remdesivir reduziu as internações em 31% em comparação com um tratamento com placebo.

O interesse no medicamento de Gilead tem sido alto, pois atualmente não existem tratamentos aprovados ou vacinas preventivas para o Covid-19, e os médicos estão desesperados por algo que possa alterar o curso da doença.

Os recentes dados clínicos aumentaram as esperanças de que o remdesivir possa ser um tratamento eficaz para o novo coronavírus que infectou mais de 3 milhões de pessoas e matou mais de 225.000 em todo o mundo.

Um resumo de estudo divulgado inadvertidamente pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na semana passada disse que o remdesivir não melhorou a condição dos pacientes ou reduziu a presença do patógeno na corrente sanguínea. A farmacêutica disse que os resultados foram inconclusivos porque o estudo foi encerrado precocemente.

O remdesivir, que falhou anteriormente como tratamento para o ebola, está sendo julgado contra o Covid-19 porque foi projetado para desativar o mecanismo pelo qual certos vírus, incluindo o novo coronavírus, fazem cópias de si mesmos e potencialmente sobrecarregam o sistema imunológico de seus hospedeiros.

O vice-presidente Mike Pence disse que os 1,5 milhões de frascos começarão a ser distribuídos aos hospitais na segunda-feira.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below