for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Arábia Saudita vai tomar "rigorosas e dolorosas" medidas para lidar com impacto do coronavírus

CAIRO (Reuters) - A Arábia Saudita adotará medidas rigorosas e dolorosas para lidar com o impacto econômico da pandemia de coronavírus, disse o ministro das Finanças Mohammed al-Jadaan em entrevista à TV Al Arabiya, acrescentando que “todas as opções para lidar com a crise estão abertas”.

“Precisamos reduzir drasticamente as despesas orçamentárias”, disse Jadaan em comentários publicados neste sábado, antes da transmissão da entrevista. Não foram fornecidos detalhes sobre as eventuais medidas.

O maior exportador de petróleo do mundo está sofrendo com os preços historicamente baixos do barril de petróleo, enquanto as medidas para combater o novo coronavírus provavelmente reduzirão o ritmo e a escala das reformas econômicas lançadas pelo príncipe Mohammed bin Salman.

As reservas cambiais do banco central da Arábia Saudita caíram em março no ritmo mais rápido em 20 anos, atingindo o menor nível desde 2011. O reino saudita ainda chegou a um déficit orçamentário de 9 bilhões de dólares no primeiro trimestre, com o colapso da receita do petróleo.

Jadaan lembrou que o país já implementou medidas de estímulo destinadas a preservar empregos no setor privado e a garantir a prestação de serviços básicos.

No início desta semana, ele disse que Riad poderia tomar emprestado mais cerca de 26 bilhões de dólares este ano e retiraria 32 bilhões de dólares de suas reservas para financiar o déficit.

No sábado, ele disse que as retiradas das reservas em dinheiro do reino este ano não devem exceder um total de 110 bilhões de riais (29 bilhões de dólares) a 120 bilhões, conforme especificado no orçamento.

por Samar Hassan

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up