for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Premiê convence oposição e Espanha deve prorrogar estado de emergência

MADRI (Reuters) - Parece certo que o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, obterá votos suficientes dos parlamentares nesta quarta-feira para prorrogar um estado de emergência por mais duas semanas enquanto o país afrouxa um isolamento imposto para controlar um dos piores surtos de coronavírus do mundo.

Primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez 10/03/2020 REUTERS/Sergio Perez/

O isolamento rigoroso está contendo o surto, que registrou um número diário de mortes de 244 nesta quarta-feira – muito menos do que os picos de quase mil mortes vistos no início de abril –, mas devastando a economia e causando uma grande perda de empregos.

O embate parlamentar sobre como orquestrar a saída do isolamento ressalta o ambiente político polarizado em uma nação que passou por quatro eleições nacionais em quatro anos e cujo governo precisa lutar por todo e qualquer apoio.

“Suspender o estado de emergência seria um erro total e imperdoável”, disse Sánchez em um discurso ao Parlamento nesta quarta-feira, acrescentando que os milhões de euros de ajuda estatal para ajudar empresas e indivíduos prejudicados pelo isolamento foram liberados graças ao decreto de emergência.

O frágil governo de coalizão do premiê obteve o apoio do partido nacionalista basco PNV e do partido de centro-direita Ciudadanos, que disse que endossará uma prorrogação.

Isto garante votos suficientes para aprovar o decreto, apesar da perda de apoio dos opositores conservadores do Partido Popular (PP). O estado de emergência, que termina no sábado, dá ao governo poderes para controlar a circulação de pessoas.

Pequenos negócios, como cabeleireiros, começaram a reabrir nesta semana com restrições, e os espanhóis, sujeitos a um confinamento rígido desde meados de março para controlar um surto que já matou quase 26 mil pessoas, agora têm permissão de sair de casa para se exercitar.

Em mais um passo de volta à normalidade, os jogadores do Barcelona voltarão ao seu centro de treinamento para passar por exames de detecção de coronavírus e os times do Campeonato Espanhol planejam voltar à ação em junho.

Mas se viu um sinal de como o isolamento faz estragos na economia espanhola no fato de executivos do setor de serviços terem relatado uma nova retração da atividade em abril após um recorde negativo em março, consequência de as empresas estarem fechadas e as pessoas trancadas em casa.

A economia encolheu 5,2%, o maior índice já registrado, nos três primeiros meses de 2020 devido ao impacto da crise.

Reportagem adicional de Inti Landauro

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up