for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Denúncias de violência doméstica disparam durante isolamentos, diz OMS Europa

Vista aérea da torre Eiffel, em Paris 1/4/2020 REUTERS/Pascal Rossignol

ZURIQUE (Reuters) - As ligações para disques-denúncia de violência doméstica da Europa aumentaram em até três quintos, já que o consumo exagerado de álcool e drogas se combina com a alienação dos isolamentos pelo coronavírus para atiçar os abusos contra os mais vulneráveis, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira.

O estresse e a ansiedade provocados por semanas de restrições à vida pública transformaram a incerteza, a separação e o medo em parte do cotidiano de muitos, disse o diretor regional da OMS para a Europa, Hans Kluge.

Ele citou relatos de muitos países, como Bélgica, Bulgária, França, Irlanda, Rússia, Espanha e Reino Unido, a respeito do aumento de episódios de violência contra mulheres e homens por parte de parceiros íntimos e contra crianças por causa da reação à pandemia de Covid-19

“Embora os dados sejam escassos, Estados-membros estão relatando até 60% de aumento de chamadas de emergência feitas por mulheres sujeitadas por seus parceiros íntimos à violência em abril deste ano na comparação com o último”, disse Kluge em um briefing virtual de Copenhague.

Pesquisas online de disques-denúncias de prevenção da violência aumentaram até cinco vezes, disse a agência, classificando a questão como um problema global.

Kluge observou que alguns países deram exemplos de como tratar a questão. A Itália tem um aplicativo para se pedir ajuda sem fazer ligações, e na França e na Espanha as vítimas podem alertar farmacêuticos com palavras em código.

Por Michael Shields

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up