for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Espanha avança rumo à normalidade, mas Madri e Barcelona podem ficar para trás

Madri 7/5/2020 REUTERS/Sergio Perez

MADRI/BARCELONA (Reuters) - A Espanha está analisando nesta quinta-feira novas medidas para voltar à normalidade, já que a epidemia de coronavírus está recuando, mas a capital Madri e a cidade de Barcelona podem continuar sujeitas a restrições severas por ora.

Ambas, assim com seus arredores, registraram o maior número de infecções e mortes de coronavírus na Espanha, um dos países mais atingidos pela pandemia global.

Mas como a economia está em apuros e os cidadãos anseiam pelo fim de um isolamento que os mantêm praticamente confinados em casa há oito semanas, o governo do primeiro-ministro, Pedro Sánchez, está ansioso para recolocar a nação em funcionamento sem provocar uma segunda onda de infecções.

Na noite de quarta-feira, o Parlamento aprovou a prorrogação do estado de emergência por mais duas semanas a partir de domingo – o que dá ao governo o poder de controlar a circulação de pessoas enquanto relaxa gradualmente o isolamento que conseguiu conter o surto.

“Se as medidas de segurança forem obedecidas e as distâncias de segurança respeitadas, acho que é fantástico. Acho que estava na hora”, disse Charo Nuñez, funcionário de uma farmácia de Madri.

O Ministério da Saúde estimou o número de mortes causadas pelo coronavírus no país nas últimas 24 horas em 213 nesta quinta-feira, menos que as 244 do dia anterior e muito menos do que os picos de quase mil do começo de abril.

Isso elevou o total de óbitos a 26.070. O número de casos diagnosticados subiu dos 220.325 do dia anterior para 221.447.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up