for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Coreia do Sul mantém reabertura de negócios apesar de surto de Covid-19 em casas noturnas

SEUL (Reuters) - Autoridades de saúde da Coreia do Sul disseram nesta quarta-feira que não têm planos imediatos de reativar regras rígidas de distanciamento social, apesar de um novo surto de coronavírus

A quarantine worker sprays disinfectants at night spots of Itaewon neighborhood, following the coronavirus disease (COVID-19) outbreak, in Seoul, South Korea, May 11, 2020. Yonhap/via REUTERS ATTENTION EDITORS - THIS IMAGE HAS BEEN SUPPLIED BY A THIRD PARTY. SOUTH KOREA OUT. NO RESALES. NO ARCHIVE.

na capital Seul.

As autoridades se apressaram para rastrear e examinar milhares de pessoas na última semana depois que um foco de infecções novas ligadas a casas noturnos e bares do distrito de Itaewon, em Seul, provocou o temor de uma segunda onda da pandemia.

Ao menos 119 casos de Covid-19 foram relacionados a estes locais, que haviam acabado de reabrir como parte da decisão do país de afrouxar as medidas de isolamento para reativar sua economia em dificuldades. Onze desses pacientes têm 19 anos ou menos.

O vice-ministro da Saúde, Kim Gang-lip, disse que retomar as regras de distanciamento social é improvável, contanto que o número diário de casos novos continue abaixo de 50 e as autoridades consigam rastrear 95% de todas as infecções.

“Por ora, ainda monitoraremos como as transmissões atuais acontecem e analisaremos se deveríamos reconsiderar nossa política de distanciamento”, disse Kim em um briefing à mídia.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia (KCDC) relatou 26 casos novos até a meia-noite de terça-feira, 21 deles ligados ao surto dos clubes noturnos de Seul. A cifra foi ligeiramente menor do que os níveis relatados nos dois dias anteriores e elevou o total nacional a 10.962, aí incluídas 259 mortes.

O surto de Itaewon levou as autoridades a fecharem novamente clubes noturnos e bares, além de adiar a reabertura planejada das escolas em uma semana, mas o governo manteve a decisão de amenizar restrições mais abrangentes ao reabrir escritórios, instalações públicas e centros esportivos.

Autoridades municipais de Seul adotaram uma nova diretriz que obriga as pessoas a usarem máscaras no metrô nos horários de pico a partir desta quarta-feira.

A experiência da Coreia do Sul enfatiza a necessidade de esforços de longo prazo para evitar novos surtos, disse John Fleming, chefe da Unidade de Saúde da Ásia Pacífico da Federação Internacional de Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC).

“Precisamos continuar atentos a novos surtos em países que achataram a curva, como a Coreia do Sul”, disse ele à Reuters. “É fácil ficar complacente quando as restrições são relaxadas”.

Mais de 22 mil pessoas foram examinadas desde que o foco dos clubes noturnos veio à tona na semana passada, disse o prefeito da capital, Park Won-soon, em um briefing à mídia. Dados de celular foram usados para identificar e localizar milhares delas.

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

REUTERS PF

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up