for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Italianos vendem ouro com devastação econômica por Covid-19

Funcionário de joalheria em Roma, na Itália, examina jóia levada por cliente para penhor 13/05/2020 REUTERS/Cristiano Corvino

ROMA (Reuters) - Massimiliano Barrotta está vendo um aumento de clientes que o procuram para vender ouro em sua loja de Roma agora que os italianos sentem o impacto econômico do isolamento imposto pelo governo para deter uma das piores epidemias de Covid-19 do mundo.

O isolamento de oito semanas vem sendo amenizado gradualmente desde o dia 4 de maio, mas deixou a economia prostrada – empresas estão repletas de dívidas e dezenas de milhares de pessoas perderam o emprego.

A Comissão Europeia acredita que a economia da Itália encolherá quase 10% neste ano.

“Vimos um aumento de quase 50% em nossas compras de ouro de clientes particulares neste ano, especialmente nas últimas duas semanas”, disse Barrotta, gerente de três lojas “Compro Oro”, à Reuters.

As lojas de comércio de ouro – que são cerca de 6 mil em todo o país, de acordo com a agência reguladora do setor, OAS – proliferaram durante a última grande recessão italiana de 2012, quando pessoas lutando pela sobrevivência vendiam de tudo, de anéis de noivado a dentes de ouro.

Mas elas não são a única opção para os italianos em apuros. As casas de penhores, onde as pessoas vendem bens ou os usam como garantia de empréstimos, são muito menos presentes, mas agora também estão vendo os negócios crescerem.

“Ainda estou pagando pela casa em que moro com minha esposa. A vida é cara, a hipoteca é cara, o que podemos fazer?”, indagou o pensionista Nazareno Bucchi ao sair da casa de penhores Affide da Piazza Monte di Pieta, praça central de Roma famosa por este tipo de estabelecimento desde o século 17.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up