May 27, 2020 / 8:54 PM / in 2 months

EXCLUSIVO-EUA preparam indiciamento de esposa de Maduro por tráfico de drogas e corrupção

CARACAS/WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos estão se preparando para acusar formalmente a esposa do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nos próximos meses de crimes que podem incluir tráfico de drogas e corrupção, disseram quatro pessoas a par do caso à Reuters.

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e a primeira-dama, Cilia Flores 17/05/2018 REUTERS/Carlos Jasso

Se os EUA forem adiante com um indiciamento da primeira-dama, Cilia Flores, acredita-se que as acusações derivarão, ao menos em parte, de uma transação de cocaína frustrada que já levou dois de seus sobrinhos a uma penitenciária do Estado norte-americano da Flórida, disseram as fontes.

Nicole Navas, porta-voz do Departamento de Justiça dos EUA, não quis comentar nenhuma investigação ou acusação pendente contra Flores. A esposa do líder venezuelano e seu escritório na Assembleia Nacional não responderam a perguntas para esta reportagem.

O ministro da Informação da Venezuela, Jorge Rodríguez, disse à Reuters que as perguntas da agência de notícias sobre o possível indiciamento de Flores são “nauseantes, caluniosas e ofensivas”, recusando-se a entrar em detalhes.

No final de março, procuradores norte-americanos indiciaram Maduro e mais de uma dúzia de ex-autoridades venezuelanas por narcoterrorismo e tráfico de drogas. Maduro, hoje em seu oitavo ano como presidente, passou anos tentando inundar os EUA com cocaína, alegaram os procuradores, na tentativa de enfraquecer a sociedade do país e fortalecer sua posição e riqueza.

Em um pronunciamento televisionado feito após os indiciamentos, ele refutou as acusações apresentadas contra si e seus colegas, rotulando-as como uma fabricação de motivação política do governo do presidente dos EUA, Donald Trump. “Você é uma pessoa horrível, Donald Trump”, ele disse. Seu escritório não respondeu a pedidos de comentários sobre esta reportagem.

Os indiciamentos de março e as acusações possíveis contra Flores chegam em meio a uma nova campanha de Washington para aumentar a pressão sobre Maduro. O líder socialista, Flores e outros membros do “círculo íntimo” de Maduro são alvo de punições do Departamento do Tesouro dos EUA desde 2017. Flores é uma parlamentar de longa data e mediadora política do Partido Socialista governante.

No ano passado, os EUA e seus aliados, incluindo o Brasil, reconheceram o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino, vendo a reeleição de Maduro em 2018 como uma farsa. Mas Maduro continua no poder, apoiado pelos militares da nação e por Rússia, China, Cuba e Irã – uma fonte de frustração crescente para Trump, de acordo com algumas autoridades norte-americanas.

Em entrevistas concedidas à Reuters, Yazenky Lamas, ex-guarda-costas de Flores hoje preso, disse que ela estava ciente dos crimes de familiares, incluindo o esquema de tráfico de cocaína pelo qual seus sobrinhos foram condenados por um tribunal dos EUA. As entrevistas, as primeiras que ele concede desde que foi encarcerado, foram a primeira ocasião em que Lamas fez suas acusações em público.

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below