for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Premiê sueco definirá inquérito sobre coronavírus antes do verão local

ESTOCOLMO (Reuters) - A Suécia definirá um inquérito sobre o tratamento da pandemia pelo país antes do verão local, disse o primeiro-ministro Stefan Lofven em entrevista a um jornal nesta segunda-feira, em meio a críticas crescentes sobre mortes em casas de repouso e à falta de testes.

FILE PHOTO: Sweden's Prime Minister Stefan Lofven speaks during a news conference after the second day of the European Union leaders summit, held to discuss the EU's long-term budget for 2021-2027, in Brussels, Belgium, February 21, 2020. REUTERS/Christian Hartmann/File Photo

Lofven, cujos social-democratas governam em coalizão com os verdes, mas também dependem do apoio de dois partidos de centro-direita, disse anteriormente que uma comissão seria nomeada assim que a crise terminasse, mas estava sob pressão para agir mais cedo.

“Precisamos adotar uma abordagem geral para ver como funcionou a níveis nacional, regional e local”, disse Lofven em entrevista ao diário sueco Aftonbladet. “Tomaremos uma decisão por uma comissão antes do verão”, disse ele.

A Suécia adotou uma abordagem mais liberal para combater o vírus do que seus vizinhos e deixou a maioria das escolas, restaurantes e empresas abertas, baseando-se em medidas voluntárias focadas na boa higiene e no distanciamento social para conter o surto.

Mais de 4.000 pessoas na Suécia, cerca de metade delas residentes de casas de repouso, morreram na pandemia, uma taxa per capita muitas vezes maior do que em outros países nórdicos, todos os quais impuseram restrições mais rígidas.

Embora a taxa de mortalidade ao longo do surto tenha sido menor do que em alguns países que optaram por quarentenas rígidas, como Itália e Reino Unido, a Suécia teve o maior número de mortes por Covid-19 na Europa em relação ao tamanho da população durante o mês de maio.

Os testes para a doença também ficaram bem abaixo do nível de outros países nórdicos, atingindo apenas um terço da meta do governo de 100.000 testes por semana, provocando críticas de partidos da oposição, tanto da direita quanto da esquerda.

(Reportagem de Johan Ahlander)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729))

REUTERS CA ES

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up