for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Europa corre risco alto de incêndios florestais neste ano, alerta UE

Bombeiro durante ação de combate a incêndio florestal em Portugal 06/09/2019 REUTERS/Rafael Marchante

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia acredita que o clima seco provocará incêndios florestais anormalmente amplos na Europa nos próximos meses, inclusive nas regiões do centro e norte que tendem a correr menos risco, disse o comissário do bloco para enfrentamento a crises, nesta terça-feira.

Em decorrência das temperaturas acima do normal na primavera europeia, os incêndios florestais já irromperam nos últimos dias na Suécia e no norte da França, mostraram dados do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (Effis).

Esses casos se somam a incêndios na Itália e em Portugal, que são vulneráveis por causa de seu clima mais quente.

A Comissão Europeia, o Executivo da UE, acredita que a situação piorará muito durante o verão do continente.

“Acredita-se que a temporada de incêndios ficará acima da média de dez a doze anos no tocante ao número de incêndios e de áreas queimadas na Europa”, disse o comissário Janez Lenarcic em uma coletiva de imprensa em referência ao período entre junho e setembro, que costuma ser o mais quente na Europa.

Ele ainda não consegue prever se este ano será pior do que 2019, quando incêndios florestais provocaram níveis recordes de devastação na Europa, mas disse que a Comissão estimou que o perigo de incêndios florestais múltiplos e vastos é alto.

O clima seco em regiões normalmente úmidas também amplia o risco para além dos focos tradicionais.

“As áreas que são sujeitas a incêndios florestais não estão somente na parte sul da Europa, mas também no centro da Europa e até na parte norte da Europa”, disse Lenarcic, citando incêndios recentes e projeções de autoridades nacionais de países do bloco.

A Bélgica, localizada no noroeste europeu, teve seu mês de maio mais seco desde o século 19, com condições que prejudicaram o crescimento das plantações e reduziram as colheitas da província agrícola de Flandres Ocidental.

Por Francesco Guarascio

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up