for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Mineápolis e Califórnia agem para acabar com ações policiais no pescoço

Manifestante usando máscara de proteção mostra cartaz protestando contra morte de George Floyd, que estava sob custódia da polícia. 5/6/2020. REUTERS/Yiannis Kourtoglou

(Reuters) - O conselho de Mineápolis votou nesta sexta-feira para acabar com o uso de estrangulamentos e contenção no pescoço como a usada por um policial e que resultou na morte de um homem desarmado em 25 de maio, provocando protestos nos Estados Unidos.

Na Califórnia, o governador Gavin Newsom disse que encerrará o treinamento da polícia em contenções como a usada em George Floyd por Derek Chauvin, enquanto outros três policiais aguardavam e observavam Floyd morrer implorando por sua vida.

A polícia de Mineápolis demitiu todos os quatro policiais e eles foram acusados de assassinato. O incidente fez com que comunidades nos EUA reconsiderassem o uso de tais ações.

A decisão de Mineápolis veio após uma queixa de direitos humanos do Estado de Minnesota contra a cidade. Numa proposta que precisa ser aprovada por um juiz, o conselho de Mineápolis disse que proibirá estrangulamentos e repressão no pescoço e exigirá que membros da polícia relatem imediatamente qualquer uso não autorizado de força por um oficial.

“Negros, indígenas e outras comunidades têm sofrido dores e traumas por gerações como resultado de racismo sistêmico e institucional e problemas de longa data no policiamento”, disse a ordem proposta que o conselho aprovou por unanimidade.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up