for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Impactos do coronavírus causarão anos de distúrbios e fome em países mais pobres, diz instituto

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) - Os impactos econômicos causados pelo novo coronavírus devem agravar a pobreza, os distúrbios e a instabilidade em países altamente endividados e politicamente frágeis durante anos, afirmou um centro internacional de estudos nesta quarta-feira.

Agentes de saúde inspecionam barraca de imigrantes africanos em Darien, no Panamá 05/06/2020 REUTERS/Abraham Teran

A pandemia reverterá anos de desenvolvimento socioeconômico em algumas nações, disse o Instituto para a Economia e a Paz (IEP) em um comunicado divulgado juntamente com seu índice anual, que mede os níveis de paz em todo o mundo.

“O pior ainda está por vir”, disse Steve Killelea, chefe do instituto sediado na Austrália, que acredita que a maioria dos indicadores de paz que mede cairá durante vários anos.

“Os países que sofrerão mais serão aqueles que estão frágeis atualmente, porque são aqueles que geralmente têm níveis maiores de insegurança alimentar, cujos governos são politicamente menos estáveis e cujas economias são menos robustas”.

Os isolamentos adotados para evitar a disseminação do vírus abalam as economias -- a Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que cerca de 200 milhões de pessoas perderão o emprego, e o Banco Mundial prevê que a economia global encolherá 5% em 2020.

Analistas preveem que levará cinco anos para as economias mundiais voltarem aos níveis de 2019, disse Killelea.

Nações muito endividadas podem ter dificuldade para conseguir fundos para reerguer suas economias após o coronavírus, o que aumentará a instabilidade, os distúrbios e a violência, apontou a análise do IEP.

Também é provável que muitos Estados cortem a ajuda externa, o que pressionará mais países frágeis e assolados por conflitos, como Libéria, Afeganistão, Burundi e Sudão do Sul, e ameaça agravar crises humanitárias, disse.

A mudança climática e desastres naturais também representam um risco crescente à paz, disse o IEP, que descobriu que a paz se deteriorou em todo o mundo no último ano.

A paz mundial recuou 2,5% desde 2008, segundo o índice, que dá às nações uma nota de 1 a 5 com base em 23 indicadores que medem níveis de conflito, segurança social e militarização.

Vidya Diwakar, pesquisador do centro de estudos Instituto de Desenvolvimento Exterior, previu que o impacto da pandemia será sentido além dos Estados fragilizados, provocando pobreza e fome, que podem desencadear tumultos, em muitos países.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up