for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Pubs ingleses exigirão identificação de clientes e não terão shows ao vivo em reabertura

Homem joga desinfetante no exterior de pub em Londres 23/06/2020 REUTERS/Toby Melville

LONDRES (Reuters) - Frequentadores de pubs da Inglaterra terão que dar seu nome antes de pedirem uma cerveja, e os bares não poderão ter apresentações artísticas ao vivo, anunciou o governo em orientações para a reabertura do setor no próximo mês.

Pubs, restaurantes e cabeleireiros terão que manter um registro de clientes por 21 dias para ajudar na operação de teste e rastreamento do serviço de saúde, que visa identificar e conter qualquer surto de Covid-19 e interromper uma segunda onda de infecções.

Apresentações ao vivo, incluindo shows de comédia e música, também não serão permitidas, disse o governo.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou na terça-feira que pubs, restaurantes e hotéis poderão reabrir na Inglaterra em 4 de julho, aliviando o isolamento imposto devido ao coronavírus que praticamente paralisou a economia.

Ele também reduziu o distanciamento social de 2 metros para 1 metro, uma mudança que permitirá reabrir muito mais bares e restaurantes.

A Associação Britânica de Cerveja e Pubs (BBPA, na sigla em inglês) disse que 75% dos bares na Inglaterra --28.000 pubs-- poderão reabrir. Sob as regras de distanciamento social de 2 metros, apenas um terço dos bares da Inglaterra --12.500--poderiam reabrir.

“Como indústria, faremos tudo o que pudermos para garantir que nossos clientes e funcionários estejam seguros em nossos pubs”, disse Emma McClarkin, diretora executiva da BBPA.

“Temos preocupações significativas com a coleta e o armazenamento de dados pessoais de clientes ao visitar o pub”, acrescentou.

Reportagem de Paul Sandl

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up