for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Meses depois, Conselho de Segurança da ONU apoia pedido de trégua em meio a pandemia

Secretário-geral da ONU, António Guterres 28/02/2020 REUTERS/Carlo Allegri

NOVA YORK (Reuters) - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas finalmente apoiou, nesta quarta-feira, pedido do chefe da ONU, António Guterres, de 23 de março, de uma trégua global em meio à pandemia de coronavírus, adotando uma resolução após meses de negociações para conseguir um compromisso entre Estados Unidos e China.

A resolução, redigida por França e Tunísia, pede que “todas as partes em conflitos armados se envolvam imediatamente em uma pausa humanitária por pelo menos 90 dias consecutivos” para permitir a entrega de ajuda humanitária.

As negociações sobre a resolução foram frustradas por um impasse entre China e EUA sobre a necessidade de pedir apoio à Organização Mundial da Saúde. Os Estados Unidos não queriam uma remissão ao organismo global de saúde, enquanto a China queria.

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou em maio que o país deixaria a agência das Nações Unidas com sede em Genebra pelo modo com que lidou com a pandemia, acusando-a de ser “centrada na China” e de promover a “desinformação” da China, alegações negadas pela OMS.

A resolução do Conselho de Segurança não menciona a OMS, mas faz referência a uma resolução da Assembleia Geral da ONU que o faz.

“Realmente vimos o pior do organismo”, disse Richard Gowan, diretor do Grupo Internacional de Crises da ONU, sobre o conselho. “Este é um Conselho de Segurança disfuncional.”

O porta-voz de Guterres, Stéphane Dujarric, afirmou que “a adoção desta resolução enviará um sinal importante às partes em conflito”.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up