for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Cidade de Nova York planeja reabrir escolas combinando ensino presencial e remoto

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio. 23/06/2020. REUTERS/Caitlin Ochs.

NOVA YORK (Reuters) - O prefeito da cidade norte-americana de Nova York, Bill de Blasio, apresentou nesta quarta-feira um plano para reabrir o maior sistema escolar do país em setembro com um calendário de “ensino misto” por meio do qual os alunos alternariam entre as salas de aula e seus lares.

A proposta chega no momento em que administradores de escolas de toda o país se empenham em equilibrar a segurança e as necessidades educativas e o presidente Donald Trump pressiona escolas a reabrirem no outono.

Pelo plano de Nova York, que exige aprovação estadual, 1,1 milhão de alunos da rede pública passariam dois dias na escola e três estudando em casa, e depois reverteriam a sequência na semana seguinte.

“Este modelo misto, este tipo de modelo de cronograma dividido, é o que podemos fazer nas condições atuais”, disse De Blasio. “Depois vamos torcer e orar para que a ciência nos ajude com uma vacina, uma cura ou tratamento.”

O plano também pede que os edifícios das escolas sejam desinfetados com frequência e que os estudantes usem proteções faciais e mantenham o distanciamento social nestes locais, disse o prefeito. Pais preocupados com a segurança podem manter os filhos em casa para aulas virtuais e com outros materiais, acrescentou.

Atualmente, quase todos os Estados norte-americanos estão cogitando planos de reabertura. Eles fecharam as escolas em março, e a pandemia os forçou a mudar para alguma forma de instrução remota que normalmente depende de conexões com a internet.

Reportagem adicional de Maria Caspani em Nova York, Daphne Psaledakis em Washington e Lisa Shumaker em Chicago

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up