for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Comediante ironiza governo do Zimbábue, apesar do medo de represálias

Comediante do Zimbábue Victor Mpofu, conhecido como Doc Vikela 20/08/2020 REUTERS/MacDonald Dzirutwe

HARARE (Reuters) - Victor Mpofu está usando a sátira para ressaltar os problemas políticos do Zimbábue, alcançando um público cada vez maior, apesar de viver com medo de retaliação do governo do presidente Emmerson Mnangagwa.

Mpofu, também conhecido como Doc Vikela, viu seus seguidores no canal de YouTube Simuka Comedy crescerem de menos de 1.000 assinantes em janeiro, quando ele se aventurou na sátira política, para 23.000 agora.

O pai de dois filhos, de 34 anos, faz parte de uma geração de comediantes online que criticam os excessos do governo.

Críticos acusam Mnangagwa de voltar às tendências autoritárias da era Robert Mugabe em meio a uma crise econômica cada vez pior.

Em suas esquetes, Mpofu faz uma imitação de Mnangagwa, com um lenço colorido, sua marca registrada, às vezes zombando de algumas das decisões do presidente.

“O que estamos simplesmente dizendo é que há problemas. Estamos destacando esses problemas em nosso conteúdo. Dizemos ‘você acha que devemos continuar assim’?”, afirmou.

Críticos, incluindo líderes religiosos e advogados, têm acusado o governo de usar a pandemia de Covid-19 para violar os direitos humanos e sequestrar e torturar oponentes. O governo nega as acusações.

Mpofu diz que seu trabalho de comédia é difícil “porque você tem medo de desaparecer, você tem medo de ser abduzido”.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up