for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fundo climático para nações pobres promete liderar recuperação verde pós-pandemia

BARCELONA (Reuters) - O Fundo Verde para o Clima prometeu às nações em desenvolvimento que intensificará seus esforços para ajudá-las a atacar as mudanças climáticas enquanto tentam se recuperar da pandemia de coronavírus, aprovando 879 milhões de dólares de apoio para 15 novos projetos ao redor do mundo.

Em uma reunião virtual do Conselho de quatro dias que terminou no fim da sexta-feira, o fundo acrescentou Afeganistão e Sudão a uma lista de mais de 100 países a receber um total de 6,2 bilhões de dólares para reduzir as emissões que estão aquecendo o planeta.

O Fundo Verde para o Clima (GCF, sigla em inglês) foi estabelecido sob discussões climáticas da ONU em 2010 para ajudar nações em desenvolvimento a lidar com o aquecimento global, e começou a alocar recursos em 2015.

O diretor-executivo, Yannick Glemarec, afirmou que o fundo tem “papel chave a desempenhar para manter a ambição pelo clima na era de Covid-19” e que buscaria melhorar a velocidade e eficiência de sua resposta às necessidades dos países em desenvolvimento.

O co-presidente do Conselho, Nauman Bashir Bhatti, do Paquistão, afirmou que o financiamento climático será crucial para a recuperação da pandemia e que o fundo precisava aumentar seu apoio “mesmo durante estes momentos difíceis”.

As promessas chegam depois de pequenas ilhas criticarem o ritmo e o tamanho da assistência provida pelo fundo, dizendo que estavam sofrendo com os efeitos econômicos da pandemia e com os impactos das mudanças climáticas, como a elevação de mares e tempestades mais fortes.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up