for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Três massacres matam pelo menos 17 na Colômbia

BOGOTÁ (Reuters) - Pelo menos 17 pessoas morreram em três massacres ocorridos nas últimas 24 horas em diferentes regiões da Colômbia, em embates entre grupos de narcotraficantes, gangues criminosas e dissidentes das Farc, informaram autoridades locais e a mídia neste sábado.

Os ataques se somaram a outros dois ocorridos no início de agosto, em que 13 pessoas morreram.

No evento mais recente, seis pessoas foram assassinadas no município de Tumaco, no departamento de Nariño, próximo à fronteira com o Equador.

“Não sabemos se os mortos fazem parte de uma organização ou se são parentes. Por enquanto o que se sabe é que talvez haja parentes de um (...) líder das redes de apoio às estruturas ilegais”, disse o general Nairo Martínez, comandante da Força-Tarefa Hércules do Exército, à Rádio Caracol.

“Não sabemos ainda as circunstâncias de como foram retirados ... se foram levados para um setor próximo a um cemitério”, acrescentou.

Horas antes, seis pessoas morreram no município de El Tambo, no departamento de Cauca, no sul da Colômbia, e outras cinco foram mortas na zona rural do município de Arauca, no departamento de mesmo nome, no leste do país, em região de fronteira com a Venezuela.

O presidente Iván Duque lamentou as mortes em sua conta no Twitter, pouco antes de se reunir com uma comunidade na cidade de Cali, onde no dia 11 de agosto cinco jovens foram assassinados.

“Lamentamos as mortes causadas pela violência do narcotráfico e do terrorismo”, escreveu o presidente.

Por Nelson Bocanegra e Oliver Griffin

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up