for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ativista Greta Thunberg volta à escola na Suécia

Greta Thunberg fala com jornalistas em Bruxelas, Bélgica 5/3/2020 REUTERS/Johanna Geron

ESTOCOLMO (Reuters) - A ativista do clima Greta Thunberg está de volta à escola depois de um ano sabático em que emergiu como a voz de jovens que tentam salvar o planeta do aquecimento global e uma crítica contundente de políticos que ela considera estarem protelando mudanças.

Com a publicação de uma foto em que aparece com uma mochila enquanto empurra uma bicicleta, a sueca de 17 anos tuitou: “Meu ano de folga na escola acabou e é tão bom finalmente estar de volta à escola!”

Thunberg, que desencadeou um movimento de protesto liderado por jovens no mundo inteiro após uma greve do lado de fora do Parlamento sueco em 2018, passou o ano passado repreendendo os políticos sobre o aumento das temperaturas globais e o que ela vê como o fracasso em cumprir os pactos estipulados pelo Acordo de Paris de 2015.

Personalidade do ano da revista Time em 2019, Greta Thunberg falou no Fórum Econômico Mundial, em Davos, e na cúpula do clima COP-25, em Madri, nos últimos 12 meses, pedindo uma ação urgente para prevenir um desastre climático.

Em uma entrevista à Reuters em julho, disse que as pessoas no poder praticamente desistiram de entregar um futuro decente às próximas gerações.

Com a Europa começando a emergir de lockdowns devido ao coronavírus, há pedidos para que o fundo de recuperação do bloco europeu seja usado para promover uma transição para uma economia “verde”.

Em encontro com a chanceler alemã, Angela Merkel, na semana passada, Thunberg pediu que Merkel saísse de sua “zona de conforto” e acelerasse a ação para combater a emergência climática.

Por Simon Johnson

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up