for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Wisconsin é alvo de incendiários em meio a revolta contra policiais que balearam homem negro

KENOSHA, Estados Unidos (Reuters) - Incendiários atearam fogo em edifícios e em grande parte do distrito comercial negro durante a segunda noite de tumultos da cidade de Kenosha, no Estado norte-americano do Wisconsin, desencadeados depois que policiais feriram um homem negro baleando-o pelas costas diante de seus três filhos pequenos.

Pessoas protestam após policiais balearem homem negro em Kenosha, nos EUA 24/08/2020 REUTERS/Stephen Maturen

A fumaça emanava do centro de Kenosha depois que policiais do batalhão de choque entraram em atrito com manifestantes que desafiaram um toque de recolher na noite de segunda-feira e na manhã desta terça-feira a alguns quarteirões de onde a polícia baleou Jacob Blake no domingo.

Blake, de 29 anos, sobreviveu aos disparos, que foram registrados em vídeo, e sua condição é estável após uma cirurgia, disse seu pai.

Mas o incidente, o mais recente de uma série de casos que chamam atenção para o tratamento policial a afro-norte-americanos, provocou revolta em Kenosha, cidade localizada cerca de 65 quilômetros ao sul de Milwaukee.

Ele ocorreu três meses após a morte de George Floyd, um negro de Mineápolis que sufocou depois que um policial branco se ajoelhou sobre seu pescoço, desencadeando protestos de âmbito nacional contra a brutalidade policial e o racismo nos EUA.

Os tumultos também voltaram a acontecer em outras partes do país na segunda-feira. A polícia de Portland, no Oregon, cenário de semanas de protestos que se tornaram violentos em algumas ocasiões, declarou uma rebelião na noite de segunda-feira e prendeu muitos manifestantes depois que incêndios foram ateados nos escritórios da associação de polícia.

No mês passado, o governo do presidente Donald Trump enviou forças federais a Portland para reprimir os protestos.

Ativistas do movimento Black Lives Matter estão exigindo a demissão ou a prisão imediata dos policiais de Kenosha, que estão em licença administrativa.

Horas após o início do toque de recolher, a manifestação essencialmente pacífica se tornou violenta. Edifícios comerciais e governamentais foram incendiados, assim como veículos no estacionamento de uma concessionária.

A polícia disparou gás lacrimogêneo, balas de borracha e bombas de gás para dispersar a multidão, que chegava a várias centenas de pessoas, de acordo com a manifestante Porche Bennett, de 31 anos, de Kenosha.

Incêndios destruíram grande parte do distrito comercial negro, disse Bennett, acrescentando que a maioria dos instigadores que viu eram brancos.

Imagens das redes sociais mostraram agitadores brancos e negros. Homens negros munidos de tacos de beisebol quebraram placas de trânsito e lâmpadas de rua, e homens negros e brancos com tacos destruíram os faróis e para-brisas de uma fileira de carros.

(Reportagem adicional de Nathan Layne, Daniel Trotta e Trevor Hunnicutt)

Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759 REUTERS ES

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up