for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Casal que apontou arma para manifestante diz durante convenção republicana que subúrbios correm risco

Patricia e Mark McCloskey durante Convenção Nacional do Partido Republicano dos EUA 24/08/2020 Convenção Nacional Republicana/Divulgação via REUTERS

(Reuters) - Um casal branco da cidade norte-americana de St. Louis que apontou armas contra manifestantes do movimento Black Lives Matter diante de sua casa em junho ganhou uma vaga de destaque para discursar na convenção nacional do Partido Republicano dos Estados Unidos na segunda-feira, repetindo alegações infundadas do presidente Donald Trump de que os democratas destruirão os subúrbios do país.

Falando em meio a novos protestos contra policiais que balearam um homem negro no Wisconsin no domingo, Mark e Patricia McCloskey, que enfrentam acusações de crime com armas por ameaçarem manifestantes, disseram que as comunidades norte-americanas serão dominadas pelo crime e pela ilegalidade se o democrata Joe Biden vencer em novembro.

“Não importa onde você more, sua família não estará segura na América dos democratas radicais”, disse Patricia McCloskey.

A mensagem vem na esteira de alegações reiteradas de Trump, parte de sua campanha de “lei e ordem”, de que “multidões” vingativas estão devastando cidades administradas por democratas. Em um tuíte recente, Trump --determinado a reconquistar os votos de mulheres brancas com formação universitária-- declarou que as “donas de casa dos subúrbios” querem segurança e que um democrata na Casa Branca levaria caos às comunidades.

Biden repudia os protestos violentos e resistiu a clamores de ativistas para “desfinanciar a polícia”. Ao invés disso, ele disse que seu foco está em acabar com o racismo sistemático dentro das agências de cumprimento da lei.

Os McCloskeys, ambos advogados, gritaram e apontaram armas, inclusive um rifle semiautomático, contra os manifestantes, que pareciam desarmados ao marcharem diante de sua residência.

Na segunda-feira, eles criticaram as autoridades por acusá-los, ao mesmo tempo que não fizeram acusações contra os membros do que chamaram de “multidão descontrolada”. Eles disseram que tinham direito de defender sua propriedade.

Trump já havia classificado as acusações contra o casal de “vergonha”.

“O presidente Trump defenderá o direito concedido por Deus a cada americano de proteger seus lares e famílias”, disse Mark McCloskey na convenção.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up