for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Espanha enfrenta ressurgimento da Covid-19 e registra mais 3.594 novos casos

Fila de pessoas para realização de testes de Covid-19 em hospital de Llobregat, perto de Barcelona 21/08/2020 REUTERS/Albert Gea

MADRI (Reuters) - A Espanha registrou 3.594 novas infecções pelo coronavírus nesta quarta-feira, enquanto esforça-se para conter uma segunda onda de contágio, que atingiu um pico de cerca de 8.000 casos na última sexta-feira.

O país registrou o maior número de casos na Europa Ocidental desde que a pandemia começou, há seis meses, e o maior ressurgimento após a flexibilização de uma das mais rígidas paralisações do continente contra a disseminação da Covid-19.

A elevação diária mais recente ficou abaixo dos cerca de 4.000 casos registrados no dia anterior, de acordo com dados atualizados do Ministério da Saúde, e levou o total acumulado para 419.849. Mais sete mortes foram registradas, elevando o número total de vítimas para 28.971.

Os números diários ainda podem ser atualizados retroativamente.

Responsável por 1.513 casos, a zona da capital do país, Madri, foi de longe a região mais atingida. Dados separados de autoridades regionais mostraram vários municípios com mais de 700 casos por 100.000 pessoas -- mais de sete vezes a média nacional da semana passada.

Embora as autoridades tenham aconselhado os moradores de algumas áreas a ficarem em casa, o vice-líder da região de Madri disse que não havia planos para solicitar um estado de emergência local, sob novos poderes concedidos pelo governo central.

“De modo geral, não sou a favor de mais paralisações, de repetir as medidas de março e abril... Isso acabou em uma ruína econômica”, disse Ignacio Aguado em entrevista coletiva.

Por Nathan Allen, Jose Elías Rodríguez e Belén Carreño

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up