for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Médico de Trump diz que presidente não teve derrame em novembro

Trump fala com jornalistas em Washington 1/9/ 2020 REUTERS/Leah Millis

WASHINGTON (Reuters) - O médico do presidente norte-americano, Donald Trump, disse nesta terça-feira que Trump não teve um derrame ou sofreu outros problemas graves de saúde e continua saudável, em resposta a um novo livro que sugere que o vice-presidente, Mike Pence, foi deixado de prontidão para assumir compromissos presidenciais durante consulta médica de Trump no ano passado.

No livro (“Donald Trump v. The United States”), o repórter Michael Schmidt, do jornal The New York Times, afirma que a notícia se espalhou em novembro do ano passado para que o vice-presidente ficasse de prontidão se Trump tivesse que ser submetido procedimento que exigiria que fosse anestesiado, segundo informações publicadas pela mídia que obteve acesso a cópia do livro.

A Casa Branca não comentou, mas o médico do presidente negou a informação. “Posso confirmar que o presidente Trump não sofreu, nem foi examinado, para um acidente vascular cerebral (derrame), ataque isquêmico transitório (miniderrame) ou quaisquer emergências cardiovasculares agudas, conforme informado incorretamente na mídia”, disse o médico Sean Conley em um comunicado.

“O presidente continua saudável e não tenho preocupações sobre sua capacidade de manter o cronograma rigoroso que tem pela frente. Conforme declarado em meu último boletim, espero que ele permaneça apto para executar as funções da Presidência”, disse Conley no comunicado.

Por Jeff Mason e Diane Bartz

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up