for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Inglaterra imporá regras mais rígidas de socialização após alta em número de casos

Vista de reunião de gabinete do governo do primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Boris Johnson. 1/9/2020. REUTERS/Toby Melville

LONDRES (Reuters) - Novas regras mais duras sobre reuniões sociais na Inglaterra serão anunciadas na quarta-feira, com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tentando controlar uma nova alta nos números de infecções de Covid-19.

A partir de 14 de setembro, grupos de mais de seis pessoas serão proibidos de se encontrar e multados se não colaborarem, dirá Johnson.

O número de casos no Reino Unido disparou novamente nos últimos dias. Embora as testagens sejam mais generalizadas e o número de pessoas nos hospitais esteja bem abaixo do pico da epidemia, ministros temem que um novo surto saia do controle.

“Precisamos agir agora para impedir a propagação do vírus”, dirá Johnson. “Então estamos simplificando e fortalecendo as regras sobre o contato social - para torná-las mais fáceis para que a polícia as faça serem cumpridas.”

O limite anterior de pessoas em reuniões sociais era de 30.

As novas infecções reportadas nesta terça foram de 2.460, 2.948 na segunda e 2.988 no domingo - um aumento agudo comparado com os níveis de agosto, que estavam em média de 1.000 por dia, atribuídos por uma alta de transmissões entre os mais jovens.

As novas regras não se aplicarão a locais de trabalho ou escolas, e haverá exceções para casamentos, funerais e alguns esportes organizados em equipe. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte vão estabelecer suas próprias políticas de lockdown.

A medida representa um passo atrás para a recuperação dos britânicos da pandemia, que infligiu mais mortes e danos econômicos ao país do que em seus vizinhos europeus, levantando críticas generalizadas sobre a liderança de Johnson.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up